Luva nitrílica: antimicrobiana é a maior evolução do mercado

É possível criar uma luva nitrílica antimicrobiana?

Dois especialistas se uniram para criar o que eles dizem serem as primeiras luvas de procedimentos feitas em nitrilo antimicrobiano da Europa.

As  novas luvas de uso único foram criadas pela Unigloves.

As luva nitrílica antimicrobiana é fortificada e incorpora a tecnologia de íons de prata da BioCote, que foi cientificamente comprovada para destruir 90% das bactérias nocivas em apenas 15 minutos e 99,5% em apenas duas horas.

O empresa BioCote, afirma que é foi comprovada a eficácia da luva nitrílica antimicrobiana contra E. coli e Salmonella, anti-antibióticos como o MRSA, o VRE, o CPE e o CRE, espécies de fungos invasivos, como Candida auris , mais a gripe H1N1, H7N9 e a atual cepa Aussie / French.

A exposição a materiais tratados com BioCote (como a superfície da luva nitrílica antimicrobiana) evita a colonização microbiana e também os torna não infecciosos, através de danos protéicos e oxidativos, interrupção da membrana e interferência do DNA.

A Biocote diz que a criação da luva nitrílica antimicrobiana é uma estratégia complementar consistente e comprovada para o problema de contaminação cruzada predominante nos hospitais, centros de tratamento, lares e instalações farmacêuticas.

As medidas para controlar a propagação da infecção em ambientes altamente populosos são amplamente praticadas, mas atualmente têm um sucesso limitado.

luva nitrílica antimicrobiana: como é feita?

luva nitrílica antimicrobiana - biocote

As partículas de prata ionica são simplesmente impregnadas no nitrilo sintético da luva nitrílica antimicrobiana Unigloves (antes da vulcanização) durante a produção e dispersas homogeneamente em todo o polímero de borracha. ao invés de serem adicionadas como um revestimento superficial, o qual poderia se desgastar.

A prata é um agente antimicrobiano ideal para a  luva nitrílica antimicrobiana, devido à sua eficácia contra uma ampla gama de microorganismos.

Esta proteção dura a vida útil da luva fortificada – ou seja, a proteção presente na  luva nitrílica antimicrobiana não vai acabar após usar ou lavar o produto.

luva nitrílica antimicrobiana Unigloves atende ao padrão médico para pinholes (AQL 1.5) e são testadas de acordo com EN455 (grau médico).

Resultado de imagem para Chris Wahlers Unigloves
Chris Wahlers, diretor-gerente da Unigloves

Chris Wahlers, diretor-gerente da Unigloves internacional, disse: “Indo mais longe em proteger nossas luvas com um agente antimicrobiano BioCote, baseado em ions de prata, não só reduzirá significativamente o risco de contaminação microbiana, mas melhorará consideravelmente o dever de atendimento aos funcionários e clientes.

Nós avaliamos rigorosamente a eficácia do produto com o ISO 22196: 2001, mas a parceria com o BioCote nos ajudou sem fim, pois testaram repetidamente os benefícios da vida real de produtos protegidos, avaliando seu desempenho antimicrobiano nos ambientes mais difíceis, como hospitais e laboratórios “.

Cancelamento e desistência de consultas: veja os 4 passos para evitá-los

O tema do post de hoje é sobre os Quatros passos para reduzir o cancelamento e desistência de consultas.

Assim que você chega ao consultório, pede para a secretária  passar a agenda do dia. Que alegria: todos os horários estão ocupados e você começa a se preparar física e mentalmente para um dia de muito trabalho, mas…

O telefone toca. É um cliente que teve um imprevisto de última hora e infelizmente não vai comparecer.

O dia passa e isso se repete com vários daqueles clientes que estevam lotando a sua agenda.

Dia após dia, o cancelamento e desistência de consultas acontecem nos consultórios de vários profissionais da área de saúde, das mais diversas especialidades.

Você já passou por isso? Se você se identifica com essa situação, confira esse post e conheça uma forma diferente de agendamento, que pode te ajudar a evitar esse problema. É uma excelente alternativa que pode ser colocada em prática no seu consultório odontológico (mas que também pode ser utilizada por outros profissionais).

 

O cancelamento e desistência de consultas não produzem resultado positivo mas causam estragos no seu dia, aumentam o estresse e impedem que você atinja os objetivos de produção.

Os pacientes ignoram as consultas agendadas por variados motivos, e um dos mais comuns é simplesmente porque eles agendaram com alguma antecedência, antes que tivessem ideia de quais seriam os seus compromissos no dia da consulta.

E aí surgem aqueles “imprevistos” (ok, eu sei que eles podem acontecer) que se tornam prioridades instantâneas.

O paciente considera essas novas atividades mais importante do que manter a consulta dentária, então eles ligam para o seu consultório em cima da hora, para dizer que não pode comparecer.

Ou não aparecem. Simples assim.

Talvez essa ausência ainda resulte em uma remarcação? É possível. Como também não seria surpreendente que esse paciente venha a ter outras atividades no dia da consulta reagendada, voltando a priorizar tudo, menos a consulta com o dentista.

Isso leva a dores de cabeça, e também custa dinheiro ao seu consultório.

Mas tenha certeza que eu quero ajudá-lo a reduzir a quantidade de cancelamento e desistência de consultas.

Imagine que você pudesse reduzir significativamente essas ausências? Já pensou no impacto financeiro e produtivo que isso faria no seu consultório?

Você deve estar pensando:”Parece interessante…mas como fazer isso?”

COMO REDUZIR A QUANTIDADE DE CANCELAMENTO E DESISTÊNCIA DE CONSULTAS?

Confira os 4 passos que podem ser colocados em prática para reduzir a quantidade de consultas perdidas.

1- Agendamento “Híbrido” de consultas

reduza o cancelamento de pacientes

O procedimento consiste em agendar apenas os pacientes que você realmente avalia que irão aparecer.

Isso pode incluir pessoas que tenham horários mais flexíveis, pacientes que tenham um histórico de chegar às suas consultas no horário marcado, etc.

Use sua experiência para desenvolver os melhores parâmetros.

A iniciativa é amplamente recomendada pela sua criadora, Sally McKenzie , especialista com 30 anos de atuação no mercado dental.

Os demais pacientes, incluindo aqueles que estão visitando o consultório pela primeira vez, ocupam o espaço de “pré-agendamento”, no qual eles tem um horário determinado, porém, serão atendidos de acordo com a ordem de chegada.

Você pode destinar o horário no qual o consultório esteja mais vazio para receber esses clientes, ou também marcá-los para o final do expediente. Assim, se por acaso eles não aparecerem, você pode encerrar as atividades do dia.

2- Calendário anual de retorno para o seu paciente

cancelamento dentista - agenda anual

Se você está fazendo o “dever de casa” direitinho com o seus pacientes mais assíduos, eles já estão conscientes da necessidade de visitar você.

O intervalo de tempo entre as visitas pode ser combinado, baseando-se na condição de saúde bucal dele.

Ciente da necessidade de ir ao dentista, a maior parte do trabalho já foi feita, o paciente fica mais propenso a seguir a recomendação do profissional.

Crie um calendário anual programando a futura visita dele, onde você poderá mostrá-lo o que acontece na boca e dentes (inclusive os riscos de não ter um acompanhamento bucal), mês a mês, antes da próxima consulta.

A manutenção é tão importante quanto a realização de qualquer procedimento odontológico.

Mas lembre-se: criar um calendário não significa agendar horário para os pacientes. Vamos aprofundar um pouco mais no próximo tópico.

3-Evite agendamentos com muita antecedência

cancelamento dentista - agendamento longoVocê agenda consultas para os seus pacientes com meses de antecedência, sob o argumento de “planejar” a sua agenda? Pois saiba que essa atitude pode estar interferindo na presença dos pacientes.

Agende os pacientes com três e quatro semanas de antecedência. Isso possibilita que eles estejam nos seus registros com antecipação, mas não com tanto tempo ao ponto deles esquecerem da consulta, ou que marquem outro compromisso no período.

E se ele(a) esquecer? aí você pode seguir a 4 dica 😉

4- Lembretes de consulta (automáticos)

cancelamento dentista - lembrete automaticoSe você quer aumentar as chances do seu paciente comparecer a consulta novamente, adote os lembretes como ferramenta do seu consultório. Você pode fazer isso por meio de email, mensagem de texto (sms), WhatsApp ou ligação, dependendo de como eles preferem se comunicar com o seu consultório.

Se você usa seu sistema de comunicação com o paciente, você pode configurar lembretes para serem lançados em intervalos diferentes, começando 30 dias antes do compromisso. Os pacientes podem então ligar, enviar uma mensagem de texto via sms ou WhatsApp, bem como enviar e-mail para agendar seus compromissos.

Os lembretes também podem ser enviados de forma automática aos pacientes através de aplicativos e softwares.

O sistema de aviso de consultas chamado Agenda e Avisa disponibiliza o uso gratuito do sistema por 15 dias e oferece planos a partir de R$25,00 (vinte e cinco reais). Existem inúmeras opções de ferramentas disponíveis na internet.

Confira algumas nesta pesquisa que fiz no Google.

RESULTADOS ESPERADOS UTILIZANDO OS 4 PASSOS

Os quatros passos para reduzir o cancelamento e desistência de consultas são especialmente úteis quando você está agendando pacientes que são conhecidos pelo histórico de ausências.

Eu acho que neste exato momento você pode pensar em alguns pacientes que cometem esse deslize com frequência.

Cancelamento e desistência de consultas - avisar pacienteSe você entrar em contato com esses pacientes com antecedência suficiente, ao invés de insistir que eles se comprometam em comparecer no dia marcado, você vai lembrá-los do compromisso e eles terão uma noção muito melhor de como podem organizar a agenda.

Isso significa que eles estarão menos propensos a cancelar a consulta, o que reduzirá o número de compromissos quebrados e que tanto adicionam caos ao seu dia.

Mas não é apenas o estresse associado aos compromissos cancelados que causam danos a sua produtividade pessoal. O cancelamento e desistência de consultas também fazem um grande mal para os outros profissionais envolvidos na rotina de consultas do seu consultório.

Eu compreendo que é bom ver a agenda de consultas completamente ocupada, o que resulta da nomeação de pacientes com antecedência.

Cancelamento e desistência de consultas - sorriso pacienteÉ importante que você tenha em mente: esses compromissos estão ocupando espaços que podem ir para novos pacientes, pacientes que desejam voltar a fazer um tratamento, ou simplesmente aqueles que tem uma urgência odontológica e precisam de um profissional disponível.

A nomeação com muito antecedência muitas vezes leva a longos tempos de espera para ver o dentista – eu falo semanas em alguns casos – o que significa que muitos pacientes podem fazer o cancelamento e desistência de consultas e buscar outro consultório, em vez de esperar para ser atendido.

Se um bom número desses pacientes pré-agendados acabarem cancelando, isso resulta em um duplo golpe.

Precisa de outro motivo para implementar os Quatros passos para reduzir o cancelamento e desistência de pacientes? Vamos lá…

cancelamento dentista - lembrete automatico
Você não precisa fazer as coisas como antigamente.

 

Eu entendo que a ideia de mudar a maneira como você agenda os seus pacientes, pode parecer um tanto difícil.

Afinal, você fez o seu caminho por anos.

O problema é que, se você agendar TODOS os seus pacientes, isso resulta em compromissos cancelados e que causam estresse, prejudicam seus números de produção e custam dinheiro.

No fundo, se você reduzir o número de cancelamentos e desistências, possivelmente terá uma atuação profissional muito mais satisfatória e mais lucrativa.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é parar de confiar no agendamento e implementar um sistema híbrido, onde só terá espaço prioritário na sua agenda aqueles clientes que podem aumentar os seus lucros através do comparecimento às consultas.

 

 

Espero que essas informações sejam úteis para você. Sinta-se a vontade para fazer comentários e tirar as suas dúvidas.

Será uma satisfação falar contigo.

 

Referência de material com autoria conhecida:

MCKENZIE, Sally. Disponível em: <http://www.sallymckenzieblog.com/> Acesso em: 09 de Dezembro de 2017

Existem luvas resistentes a furo de agulha?

Olá! Bem vindo(a) a mais um post do blog Welbox. Hoje vamos falar sobre Luvas resistentes a furo de agulha.

As luvas desempenham um papel muito importante na proteção da saúde dos profissionais, pacientes e clientes, pois diminuem as contaminações entre as pessoas e o ambiente também.

Algumas situações são previsíveis, como o manuseio de agulhas por profissionais da saúde em geral.

enfermeira sem luvas de procedimento
Realizar procedimentos sem luva torna o risco maior

São eles(as) médicos (as), enfermeiros (as), técnicos (as) de enfermagem, veterinários, etc.

Então, já que sabemos os riscos de contaminação que podem acontecer por causa de acidentes com agulhas, como podemos evitá-los?

E se por acaso fabricassem uma luva resistente a furo de agulha?

É possível que uma luva consiga evitar a perfuração de algo tão afiado quanto uma agulha?

 

A seringa é classificada como um material perfurante. Também existem os materiais cortantes, que assim como as seringas, são responsáveis por boa parte da contaminações que acontecem.

O que são objetos perfurocortantes?

Os perfurocortantes  incluem agulhas, bem como lancetas, lâmina de barbear, tesouras, objetos metálicos, grampos, pinos, cortadores e itens de vidro (ampolas, garrafas, etc).

Essencialmente, qualquer objeto que seja capaz de cortar e/ou perfurar a pele pode ser considerado um perfurocortante.

Quando falamos sobre materiais perfurocortantes, as possibilidades de contaminação se ampliam grandiosamente, indo muito além das agulhas de seringa.

Apenas nos Estados Unidos (lamento mas não existem informações sobre o Brasil), os dados são alarmantes: estima-se que 600.000 ocorrências de “picadas” de agulha são contabilizadas anualmente, deixando em alerta todos os que atuam na área da saúde e realizam procedimentos com materiais perfurocortantes.

Devemos lembrar que, apesar das inúmeras ocorrências de acidentes com as agulhas das seringas, elas são responsáveis pela prevenção de muitas doenças e manutenção de vidas preciosas que estão nos leitos dos hospitais.

Desde o seu surgimento, as seringas cumprem um papel importantíssimo no avanço da medicina e da ciência, servindo de veículo para uma vida mais saudável. São seis séculos de existência, passando por mudanças no design e composição dos materiais.

 

luva resistente a seringa antiga
O medo de injeção tem explicação. Foto: Pinterest

Riscos e benefícios das agulhas

Acredita-se que a seringa tenha surgido apenas no século XV, na Itália. Há várias controvérsias sobre a criação da seringa, uma vez que os ingleses Christopher Wren (1632-1723) e Robert Boyle realizaram procedimentos com materiais semelhantes a seringa. Mas é do médico francês Dominique Anel o crédito pela criação da seringa tradicional, utilizada até hoje.

Independente da origem, o(s) criador(es) tem a nossa gratidão pelo feito. Com certeza ele não tinha noção da amplitude de usos que se faz do material hoje em dia. Quem ganhou e continua ganhando, é a humanidade.

Apesar dos benefícios, as agulhas também trazem alguns transtornos que, se não forem observadas as devidas medidas de segurança para evitar contaminação, podem trazer sérias consequências.

 

Você sabia? Os profissionais de saúde, especificamente os odontólogos, são as maiores vítimas de contaminação. Nós falamos sobre como evitar essa contaminação no post sobre luvas de procedimento- Guia completo.

Quais são os perigos das lesões de agulhas?

Lesões causadas por agulhas são canais de transmissão de doenças infecciosas, com uma atenção especial aos vírus transmitidos pelo sangue. A preocupação inclui o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) que leva à AIDS (Síndrome de Imunodeficiência Adquirida), hepatite B e hepatite C.

As punções acidentais por agulhas contaminadas podem injetar fluidos perigosos no corpo através da pele. Existe potencial para injeção de drogas perigosas, mas o contato com fluidos infecciosos, especialmente o sangue, é de longe, a maior preocupação. Mesmo pequenas quantidades de fluido infeccioso podem espalhar doenças.

O risco de infecção após exposição ao sangue infectado varia de acordo com o patógeno transmitido pelo sangue.

De acordo com pesquisas médicas realizadas no Canadá, no ano de 2012, existe uma chance de 6 a 30% de que uma pessoa exposta seja infectada após uma lesão com agulha contaminada com vírus da hepatite B. Em uma situação similar com o HIV, há cerca de 0,3% de chance de infecção e há cerca de 2% de chance de infecção pela hepatite C.

contaminação - luvas de procedimentos
Imagem: Site Bulas de Medicamentos

Note-se também que, como o vírus da hepatite B pode sobreviver em superfícies ambientais por mais de uma semana, é possível ocorrer a exposição ao vírus de forma indireta através de objetos contaminados.

Lesões transmitiram muitas outras doenças envolvendo vírus, bactérias, fungos e outros micro organismos para profissionais de saúde, pesquisadores de laboratório e pessoal veterinário, demonstrando que lesões de agulhas podem ter sérias conseqüências.

Como evitar a contaminação por agulhas?

As lesões por agulhas são um perigo para as pessoas que trabalham com seringas e outros equipamentos de agulhas.

Essas lesões podem ocorrer a qualquer momento quando as pessoas usam, desmontam ou descartam as agulhas.

Quando não são descartadas adequadamente, as agulhas podem ir pro lixo comum ou ferir outros profissionais que as encontram de forma inesperada.

Realizar a prevenção de lesões é a maneira mais eficaz de proteger os profissionais envolvidos no ciclo de uso e descarte dos materiais perfurocortantes. Um programa abrangente de prevenção de lesões atraentes incluiria:

  • Sistemas eficazes de coleta de resíduos.
  • Treinamento de funcionários.
  • Programas de vigilância.

Os trabalhadores que usam objetos cortantes devem exigir ações educacionais e treinamentos como parte de um programa de prevenção às lesões. Os profissionais devem saber como se proteger durante o uso, bem como proteger as outras pessoas, as quais podem se contaminar durante ou após os procedimentos.

Para descarte dos resíduos, é necessário o uso de dispositivos, os conhecidos “coletores de resíduos perfurocortante”.

Eles devem atender a todas as normas de segurança.

coletor de residuos - agulhas
Imagem: Descarpack

 

Isso não significa dizer que os profissionais de saúde são as únicas vítimas de contaminação por agulhas, mas são as principais.

Existem luvas para vários profissionais que entram em contato com resíduos de saúde, tanto na etapa de geração, bem como na coleta.

Mas como saber quais são as luvas resistentes a furos de agulhas? Elas realmente existem?

Quais são as luvas resistentes a furos de agulhas?

A resposta correta está no tipo de uso que será feito. Existe uma grande diferença entre as diversas luvas disponíveis para procedimentos, bem como para as demais atividades da área de saúde. Atualmente, é possível encontrar Luvas resistentes a furos de agulhas, porém o seu uso é indicado em atividades relacionadas a coleta de resíduos de saúde.

Devemos lembrar das seringas com agulhas que são descartadas de forma incorreta, muitas vezes misturadas ao lixo comum. Catadores e funcionários das empresas de coleta de lixo podem ser vítimas tanto quanto os “profissionais do consultório”.

coleta de perfurocontantes
Imagem: Blog coletaseletivaemsalvador

A coleta de lixo comum NÃO PODE recolher os resíduos de saúde, a destinação final é totalmente diferente e os riscos de contaminação são altíssimos.

Basicamente, o lixo comum segue para os aterros sanitários, enquanto os resíduos dos serviços de saúde passam por um processo de incineração-autoclave para que seja eliminada a contaminação existente. Em seguida, as cinzas ou os detritos do processo são encaminhados aos aterros sanitários.

Por isso é tão importante dar a destinação correta ao material hospitalar usado, afinal, clínicas, hospitais, laboratórios e demais instituições geradoras de Resíduos de saúde contaminados, tem a obrigação de comprovar qual o destino final do lixo produzido.

Existem várias empresas que atuam no segmento de coleta de resíduos de saúde. Se você ainda não dá a destinação correta, faça uma busca rápida no google , você encontrará alguma empresa que faça a coleta na sua cidade.

Por que não existem luvas de procedimento resistentes a agulhas?

O motivo é bem simples: as luvas que resistem a furos de agulhas precisam ser mais resistentes que as luvas de procedimentos tradicionais.

Sendo assim, elas diminuem a capacidade tátil das mãos, ou seja,  dificultam a realização de procedimentos simples, como por exemplo manusear a própria seringa e outros materiais de uso comum.

Na demonstração exibida no vídeo abaixo, é possível verificar que a agulha de uma seringa é capaz de perfurar diversos tipos de luvas.

Outro motivo que inviabiliza a criação de luvas “anti furos” é obrigação de uso único das luvas de procedimentos. Os modelos de luvas resistentes às agulhas possuem custo elevado e podem ser utilizadas inúmeras vezes, o que seria impossível de imaginar quando falamos de luvas de procedimento.

É terminantemente proibido o reuso de luvas de procedimento.

Para oferecer resistência contra objetos afiados e muito finos (como agulhas), fios finos ou fragmentos de vidro, as luvas precisam de uma composição de matérias primas diferenciadas, que não são possíveis de ser incluídas nas luvas de procedimentos utilizadas nos consultórios e hospitais.

CONCLUSÃO

Já vimos que é possível que uma luva seja desenvolvida para ser altamente resistente às agulhas, resta saber quando essa tecnologia estará disponível às luvas de procedimento.

Enquanto isso não acontece, escolha materiais confiáveis, para que você possa ter certeza de receber a melhor proteção possível.

Independente da forma de transmissão, seja ela por contato com fluidos corporais, perfuração por agulha etc, o nosso objetivo é poder compartilhar conteúdo útil para que você proteja a sua saúde e consiga realizar o seu trabalho com mais segurança e tranquilidade.

 

use luvas e aproveite a vida

 

Aproveite a sua profissão, tenha qualidade de vida e desfrute das suas

conquistas, afinal todo o esforço DEVE TER uma recompensa

proporcional. Mas lembre-se: não descuide da proteção!

 

 

 

 

E você, já passou por alguma situação de contaminação?

Na sua opinião, o que poderia ter sido feito para evitar o problema?

Deixe o seu comentário. É uma satisfação ouvir a sua história.

 

 

Bomba de Infusão: quais são os modelos, como funcionam, características

O assunto do post de hoje é Bomba de Infusão.

É um tema extremamente específico, afinal, os equipamentos são desconhecidos da grande maioria da população, inclusive de boa parte dos pacientes que estão “conectados” a máquina mas não sabem da sua importância.

bomba de infusão - paciente

É justamente por causa da importância desse equipamento na medicina moderna que resolvi escrever um pouco sobre quais são os modelos de bomba de infusão, como funcionam e suas principais características.

Por causa do constante avanço no desenvolvimento de novos equipamentos, é possível que algum modelo de bomba de infusão não tenha sido citado nesse artigo; neste caso, peço a sua colaboração deixando um comentário sobre o modelo da bomba de infusão que gostaria de receber mais informações. Este blog é feito para você e será uma satisfação ouvir a sua sugestão.

Vou deixar de papo e falar sobre as bombas de Infusão!

Bomba de Infusão (Perfusão)

Uma bomba de infusão é um dispositivo médico que fornece fluidos, tais como nutrientes e medicamentos, no corpo de um paciente em quantidades controladas. Bombas de infusão são muito comuns em ambientes clínicos como hospitais. Também podem ser utilizadas na residência de pacientes que precisam de cuidados especiais (home care).

bomba de infusão - quimioterapia

Em geral, uma bomba de infusão é operada por usuário treinado, que programa a quantidade e a duração da distribuição de fluidos, através de uma programação feita diretamente no equipamento, graças ao software que controla todas as suas ações.

As bombas de infusão oferecem vantagens significativas sobre a administração manual de fluidos (aplicação de injeções no paciente), incluindo a capacidade de fornecer medicação em volumes muito pequenos, disponibilização precisa das taxas programadas, realização de profusão em horários específicos, tudo de forma automatizada.

Podem ser fornecidas substâncias como insulina ou outros hormônios, antibióticos, medicamentos quimioterápicos e analgésicos, etc.

As marcas de bombas de infusão mais tradicionais no mercado brasileiro são: B Braun, LifeMed, Samtronic, Accu Chek e Medtronic

Tipos de Bombas de Infusão

Existem muitos tipos, os quais citamos: Bomba de Infusão de Grande volume, Bomba de Infusão ACP (Analgesia controlada pelo paciente), Bomba Elastomérica, Bomba de Infusão de Seringa, Bomba de Infusão Enteral e Bombas de insulina.

modelos de bombas de infusão

As bombas são projetadas principalmente para uso estacionário na cabeceira da cama do hospital, próximo do paciente. Outros modelos chamados de bombas de infusão ambulatorial são projetados para serem portáteis, tornando o uso mais prático e permitindo mais liberdade ao paciente.

Bomba de Infusão Enteral

bomba de infusão enteral bbraun

Uma bomba de alimentação enteral é um dispositivo médico eletrônico que controla o tempo e a quantidade de nutrição entregue a um paciente durante a alimentação.

A alimentação Enteral

A alimentação enteral é um procedimento no qual o médico insere um tubo no trato digestivo do paciente para fornecer nutrientes líquidos e medicamentos ao corpo.

A alimentação por tubo é administrada a pacientes que não podem comer normalmente. A Alimentação enteral é realizada quando o paciente tem lesão ou outra condição que afeta o processo normal de ingestão e digestão no trato gastrointestinal, por exemplo. A bomba de alimentação enteral garante que a quantidade certa de líquido é administrado ao corpo ao longo de um dia.

bomba de infusão enteral ciclo

O tubo (ou cateter) pode ser inserido em vários locais, geralmente o nariz, estômago ou intestino delgado , dependendo das necessidades do paciente. Um tubo nasal é um procedimento não-cirúrgico em que um tubo é executado através da passagem do paciente nasal, para baixo do esôfago, e para o estômago.

Os pacientes que não são elegíveis para um tubo nasal, como aqueles com lesões na face média ou obstruções no esôfago, podem receber um tubo de alimentação gástrica . Durante este procedimento, o tubo é colocado cirurgicamente no estômago, evitando assim o nariz, boca e garganta, mas ainda usando o estômago.

Alimentação 24 horas

A dieta é introduzida na bomba de alimentação enteral eletrônica, que controla o fluxo da nutrição para que o paciente receba uma quantidade medida de líquido continuamente durante um período de 24 horas. Os pacientes que estão administrando a nutrição enteral de forma independente, podem optar por ajustar sua alimentação durante o sono, permitindo ficar sem a bomba durante o dia.

Geralmente, uma bomba de alimentação enteral é muito precisa, mas falhas nos mecanismos eletrônicos podem causar excesso ou pouca nutrição para o paciente. Muitas bombas vêm com recursos de segurança para tornar esse erro extremamente improvável. Esses dispositivos também podem vir equipados com uma bateria que entra em ação assim que o fornecimento de energia é interrompido.

Bomba Analgesia Controlada por Paciente (PCA)

Uma bomba de analgesia controlada por paciente (PCA) é um dispositivo de controle da dor usado em hospitais e, ocasionalmente, em casa. Esta “bomba de dor” permite a administração de analgésicos intravenosos para aliviar a dor de forma rápida e eficaz.

bomba de infusão PCA

O paciente no controle

Uma bomba de analgesia controlada por um doente pode ser ajustada para administrar uma infusão contínua de medicamento para dor ou quando o paciente aperta um botão. Nos casos em que há necessidade de doses elevadas de medicação para aliviar a dor, o dispositivo pode ser programado para fornecer uma infusão contínua; O paciente também pode ser capaz de pressionar um botão quando necessário para doses extras de medicamento. Os medicamentos para dor mais comuns usados ​​nessas bombas são a morfina e 0 Demerol.

Uma bomba de PCA é usada frequentemente para o controle da dor no cuidado pós operatório. Também pode ser usado para pessoas com condições crônicas de saúde, como câncer.

O médico determina a quantidade de medicação de dor que o paciente deve ter. Esta bomba tem um dispositivo de cronometragem que pode ser programado para evitar que o paciente receba uma superdosagem de medicação.

Se o tempo de bloqueio for definido por dez minutos, por exemplo, o paciente receberá apenas uma dose de medicação para dor a cada dez minutos, não importa quantas vezes ele apertar o botão de acionamento do equipamento.

bomba de infusão pca - com chave

A bomba contra a dor é considerada um equipamento seguro de usar porque possui um dispositivo de segurança protegido com uma chave especial, ou seja, apenas uma enfermeira ou outro profissional médico pode alterar as configurações na bomba.

Se uma configuração não estiver correta ou se algo estiver errado com a bomba, imediatamente será disparado o dispositivo sonoro que alerta sobre a situação. As configurações na bomba APC devem ser verificadas por dois profissionais de saúde qualificados, antes de ser conectado ao paciente.

A maior vantagem de usar uma bomba APC para o controle da dor é a manutenção consistente do nível de analgésicos no corpo do paciente. Manter um nível adequado de medicação para a dor no corpo pode ajudar o paciente a evitar erupções dolorosas quando a medicação para a dor desaparece.

Ela também ajuda o paciente a ficar mais relaxado, afinal ele poderá medicar-se para a dor em vez de esperar por uma enfermeira para administrar o medicamento. Usar um dispositivo de analgesia controlado pelo paciente pode ajudar a maioria dos pacientes a se recuperar mais rapidamente.

Bomba de Insulina

Uma bomba de insulina é um dispositivo do tamanho de um smartphone, que pode ser convenientemente transportado em um bolso, em um clipe de cinto, ou em outro lugar discreto no corpo. Uma linha transporta a insulina da bomba de insulina para o corpo da pessoa, onde a ponta da linha, chamada cânula , é inserida logo abaixo da pele.

bomba de infusão insulina

Usando a bomba de insulina

Este pequeno cateter deve ser trocado a cada dois-três dias e pode ser alterado pelo diabético; A maioria dos diabéticos relata que a inserção da cânula é relativamente indolor, preferindo o uso da bomba ao invés  da injeção de insulina.
O diabetes tipo 1 torna o pâncreas incapaz de produzir insulina suficiente para satisfazer as necessidades do diabético, tornando-os dependentes da insulina injetada. Para muitos diabéticos, isso significa receber várias injeções, todos os dias.

O surgimento das insulinas de liberação rápida e de ação rápida (as conhecidas canetas de insulina) melhorou o controle que os diabéticos têm sobre seus açúcares no sangue, mas também promoveu o aumento no número de injeções necessárias em um dia.

A bomba de insulina proporciona maior controle sobre o diabetes do que as injeções tradicionais. A bomba usa insulina de ação rápida, que flui lenta mas firmemente no sistema do diabético de uma maneira que imita a função do pâncreas. Este fluxo é chamado de taxa basal e contabiliza os açúcares liberados regularmente na corrente sanguínea.

Para conhecer melhor a rotina de quem usa a bomba de insulina, assista ao vídeo abaixo, onde se explica o funcionamento e algumas características do equipamento.

Além da taxa basal, é necessária uma taxa adicional de insulina sempre que o diabético ingere qualquer coisa com carboidratos. O diabético programa a bomba de insulina para liberar a quantidade adequada de insulina, além da taxa basal.

como funciona bomba de insulina

Assim, a programação da bomba de insulina proporciona aos diabéticos uma maior flexibilidade no auto-tratamento do que nunca tiveram no passado. Cada avanço nas tecnologias usadas para tratar o diabetes se aproxima mais de imitar a função do pâncreas.

A bomba de insulina chegou ainda mais perto de imitar as ações do pâncreas, uma vez que os diabéticos que usam a bomba só precisam programar o dispositivo com suas necessidades e a bomba fará o resto do trabalho. Fabricantes como a Accu chek  disponibilizam treinamento especializado aos clientes que adquirem a bomba de insulina.

A única função pancreática que uma bomba de insulina ainda não consegue controlar é a monitorização dos níveis de glicose no organismo; Diabéticos ainda têm de fazê-lo manualmente. Tão rápido tem sido o avanço da tecnologia na área médica que já é possível aos diabéticos viver normalmente e de forma saudável.

 Bomba de infusão de seringa

Uma bomba de seringa é um dispositivo médico que regula a taxa de administração de fármaco através de uma seringa. Assemelhando-se a uma bomba de insulina, uma bomba de seringa é muito mais precisa, uma vez que fornece medicação lentamente durante um longo período de tempo. Médicos e pacientes podem programar uma bomba através de uma pequena tela no próprio equipamento.

Bomba de seringa para recém nascidos

bomba de infusão seringa

A bomba tem uma variedade de usos e cuidados paliativos, para salvar as vidas de recém-nascidos, por exemplo. Já os laboratórios de pesquisa em todo o mundo usam bombas de seringa (maiores e mais complexas) para determinar as quantidades mais eficazes de medicação intravenosa.

Uma bomba de seringa é uma combinação de componentes mecânicos e eletrônicos que manipulam uma seringa padrão. Projetada para acomodar o comprimento da seringa, as bombas menores são do tamanho de um controle remoto de televisão. Um pequeno computador controla um motor em funcionamento contínuo, o qual aplica uma força contínua sobre a extremidade do êmbolo da seringa; o motor imita a pressão realizada pela mão humana que aplica uma injeção.

Esta administração contínua de um fármaco diferencia a bomba de seringa de dispositivos semelhantes. Depois de fluir através de um  curto tubo de plástico, o fármaco entra no corpo por via intravenosa.

Uma bomba de seringa tem uma série de vantagens sobre outras formas de administração intravenosa de fármaco. Os bebês, especialmente os nascidos prematuros, podem precisar de uma variedade de medicamentos para sobreviver.

No entanto, seu tamanho pequeno requer quantidades menores de medicação. Uma bomba de seringa devidamente programada pode administrar com precisão a medicação, diminuindo as chances de uma sobredosagem acidental.

bomba de infusão laboratorio

Bombas de seringa também são um equipamento estratégico durante uma investigação médica. Ao contrário das bombas portáteis usadas por médicos e pacientes, uma bomba usada para pesquisa é maior (para acomodar peças eletrônicas e mecânicas mais complexas).

Embora esses recursos tenham um custo significativamente maior, eles permitem que os investigadores  administrem medicamentos muito mais precisamente do que as bombas normais.

Maior precisão leva a melhores dados de pesquisa, beneficiando futuros pacientes.

Bomba de Infusão Elastomérica

A bomba de Infusão Elastomérica – também conhecida como bomba de balão – é geralmente utilizada no campo médico para administrar medicamentos líquidos, tais como anestésicos locais, analgésicos, citostáticos ou antibióticos (dependendo da terapia).

bomba de infusão elastomerica

Como funciona a bomba elastomérica

A pressão necessária para administrar o fármaco provém da camada elastomérica que é moldada dentro da bomba. Quando a bomba está cheia, a camada é esticada. A constrição elástica conduz o líquido através da tubagem e eventualmente através de um limitador de fluxo para fora, onde ela está conectada ao doente.

A pressão é consistente até perto da extremidade da infusão, quando haverá geralmente um pico de pressão resultando numa taxa de fluxo mais elevada. A precisão da taxa de fluxo é controlada por um limitador de caudal (vidro capilar ou cânula de aço) que é moldada para a tubagem do sistema ou colocado dentro do reservatório elastomérico. As bombas elastoméricas não necessitam de eletricidade e não são movidas por gravidade.

Quando colocado acima ou abaixo do paciente, o caudal é ligeiramente aumentado ou diminuído (efeito altura da cabeça). O enchimento da bomba é feito manualmente através de uma válvula unidirecional usando uma seringa ou bomba repetidora peristáltica.

bomba de infusão elastomerica indolor

As bombas elastoméricas são conhecidas por sua confiabilidade e taxa de fluxo precisa. As bombas elastoméricas são livres de manutenção e funcionam de forma independente, sem qualquer componente eletrônico e geralmente são descartadas após o uso (uso único).

Dependendo do tamanho das bombas, a medicação pode ser aplicada ao longo de um intervalo de tempo, variando entre trinta minutos a sete dias.

Este tipo de bomba é ideal para pacientes ambulatoriais ou pacientes que requerem um alto nível de mobilidade.

  Bomba Peristáltica

Uma bomba peristáltica funciona por pressão e deslocamento. É usada principalmente para bombear líquidos através de um tubo, que é diferente da maioria das outras bombas, em que as partes da bomba entram em contato direto com o líquido. É um dos tipos mais comuns de ferramentas usadas para bombear líquidos, especialmente em ambientes médicos.

bomba de infusão peristaltica samtronic

Bomba peristáltica e sua principal vantagem

Em razão do funcionamento mecânico da bomba nunca entrar em contato direto com o fluido, ela possui uma série de utilizações, especialmente em situações onde fluidos estéreis são necessários.

Uma bomba peristáltica trabalha com os fluidos dentro de uma mangueira. O fluido então passa para dentro da carcaça da bomba e, uma vez lá, uma peça comprime o tubo forçando o líquido através da bomba e direcionando-o para seu destino final.

Esta técnica é conhecida como peristaltismo. Assim, a ferramenta é chamada bomba peristáltica.

Muitas vezes, quando se utiliza uma bomba peristáltica, os fluidos devem ser mantidos em um ambiente puro. Portanto, as mangueiras devem sempre conter o mesmo fluido.

No entanto, isto não limita necessariamente o funcionamento da bomba, porque as mangueiras podem ser desligadas. Isto é feito frequentemente, por exemplo, nos casos em que há um fluido intravenoso (IV) a ser bombeado.

A bomba oferece outras vantagens também. Por exemplo, como o interior da bomba está seco, há menos necessidade de se preocupar em proteger a bomba da umidade, que fica alojada dentro do tubo.

Sendo assim, uma vez que o equipamento não precisa de impermeabilização, a bomba peristáltica geralmente é mais barata de fabricar quando comparada com uma bomba de líquido.

Para quem deseja se aprofundar sobre esse modelo de Bomba de infusão, recomendo que assista ao vídeo do treinamento de uso do equipamento Samtronic.

A tubulação também deve ser capaz de atender a vários requisitos diferentes. Primeiro, o tipo de líquido não deve ser tão corrosivo para o material da tubulação.

Isto é muito importante para evitar danos ao interior da carcaça da bomba. A segunda consideração é que a tubulação deve ser flexível ou durável o suficiente para lidar com a constante repetição de ser comprimido, inúmeras vezes por hora.

Devido à questão da esterilidade, a bomba peristáltica encontra-se mais útil no ambiente médico. Pode ser usado em máquinas de diálise, bombas de coração e máquinas IV.

Além disso, também podem ser usadas para líquidos destinados ao consumo. O custo de uma bomba pode variar amplamente dependendo da aplicação e da fonte de energia envolvida.

Bomba de Infusão multi canais

bomba de infusão multicanais

As bombas de Infusão multicanais resolvem uma série de problemas relacionados com a perfusão.  Geralmente as UTI’s dos Hospitais são os locais onde mais se utilizam as bombas multicanais, em razão do equipamento ocupar  espaço limitado e facilitar a mobilidade dos doentes.

Quantidade de canais na bomba de infusão

Alguns fabricantes apresentam modelos com canal duplo, que facilitam a realização de muitas infusões através de uma única bomba de infusão.

Também é possível empilhar bombas volumétricas e seringas em uma única estação de MultiDock que utiliza uma única fonte de energia e organiza a unidade de trauma.

Com uma bomba de infusão multi canais, é possível infundir simultaneamente a partir de cada um dos seus canais com um potencial infusão rápida (cerca de 4,8 litros por hora).

Outro benefício efetivo de uma bomba multi terapia é a simplificação da carga de trabalho clínico, mesmo nos ambientes mais difíceis.

A equipe médica passará a monitorar as infusões realizadas pelo equipamento, ao invés de realizar o procedimento. Assim, é possível dar mais liberdade para os profissionais se dedicarem a outras atividades críticas mas que não podem ser realizadas automaticamente.

A implementação do uso de bombas multi canais pode simplificar o gerenciamento de múltiplas terapias de infusão, pois se utiliza de único dispositivo, o qual é projetado para economizar espaço, auxiliar a organização do ambiente de acordo com a necessidade do paciente, mas sem  perder de vista a segurança. 

Bomba de infusão inteligente

bomba de infusão inteligente

Bombas de infusão inteligentes são assim chamados pela possibilidade do equipamento coletar dados e, em seguida, agregá-los em um banco de dados no servidor central.

Isso inclui registros dos avisos e alertas de administração que dispararam, gerando dados e informações para os médicos que administram esses alertas.

Bombas inteligentes conectadas

Em razão do desenvolvimento tecnológico, as bombas inteligentes tornaram-se dispositivos de rede, conectadas a redes sem fio em hospitais e clínicas, o que não fez delas, porém, equipamentos inseguros.

As características de segurança contemplam muitos recursos, variando de acordo com o fabricante do equipamento. Vale destacar que a característica principal e mais popular das bombas inteligentes é a biblioteca de drogas.

Se trata de uma base de dados que contém as informações de dosagem de fármaco, incluindo limites de dosagem, parâmetros de infusão e avisos específicos de fármaco.

bomba de infusão inteligente avanço

Os limites de dosagem podem ser descritos por limites superiores ou inferiores, bem como por suspensão total ou suave do fornecimento. Os limites de dosagem superior é a dose mais elevada, dentro da margem de segurança do paciente; Já os limites inferiores, são as doses mais baixas que são aceitáveis.

Exceder os limites superiores pode causar uma dose excessiva. A administração de uma dose menor ao limite inferior pode provocar um tratamento ineficaz.

Os limites rígidos de dosagem superiores ou inferiores que são definidos na base de dados de fármacos, não podem ser substituídos. Se a programação clínica da bomba entrar em uma dose acima desse limite rígido, a bomba não permitirá que a infusão continue.

Os limites suaves podem ser aplicados em dosagem superiores ou inferiores e fornecem um aviso antes de atingi-lo, para que possam ser substituídos e a infusão possa continuar.

Por medida de segurança, alguns dispositivos de infusão solicitam que o operador apresente uma justificativa para a substituição do limite suave, de modo que as trocas de limites podem ser monitoradas e avaliadas pela equipe médica.

bomba de infusão inteligente

Existem dispositivos de infusão com software que utiliza características do paciente, como o peso, para calcular as doses de fármaco e compará-los com os limites superior e inferior estabelecidos na biblioteca de fármacos. Esta característica é mais importante em ambientes pediátricos, onde a maioria das doses são baseadas no peso.

O software do dispositivo de infusão também pode usar bibliotecas diferentes para vários tipos de pacientes ou tamanhos (isto é, pediátricos versus adultos) e comparar as doses de fármaco para a biblioteca escolhida, de acordo com o peso do paciente (isto é, menos de 15kg, 15-20kg, 21-30kg, etc.).

Isso requer que o programador de bomba escolha a biblioteca correta no estágio original de configuração para se certificar de que os intervalos de dose apropriados são usados.

Os limites da taxa de infusão podem ser definidos na programação da biblioteca de fármacos, para combinar um fármaco com o tempo de infusão apropriado. Assim como os limites de dose de fármaco, as taxas de infusão podem ser ajustadas com limites superiores e inferiores ou para um único período de tempo específico (isto é, 30 min).

Qualquer desvio da taxa de infusão programada fornecerá um aviso ao usuário e interromperá a infusão. Os alertas de infusão adicionais incluem oclusões de linha e avisos de bolhas de ar.

Bem como nas bombas tradicionais, as bombas de infusão inteligentes fornecem as mesmas notificações de problemas de infusão. Outras medidas de segurança incluem o uso de letras Tallman e o uso dos nomes de marca e genéricos de drogas.

No youtube, é possível encontrar diversas apresentações de bombas inteligentes. O video abaixo (está em inglês) mostra uma bomba inteligente do modelo seringa.

Muitas bombas inteligentes de infusão são capazes de integrar os registros de saúde eletrônicos do hospital. Isto inclui o uso de administração de medicação de código de barras (BCMA) e programas computorizados de entrada de pedidos de provedor (CPOE).

A segurança aumenta quando os medicamentos podem ser combinados com o perfil de medicação do paciente por códigos de barras.

As bombas de infusão podem fornecer uma camada adicional de segurança quando eles podem ler um código de barras de medicação e fornecer ao médico a verificação de que a dose de droga corresponde ao medicamento na lista de medicação ativa do paciente.

Os dados de infusão de fármacos também podem ser alimentados a partir da bomba de infusão, retornando para o prontuário médico online do doente. Dados como taxas de infusão e doses de fármacos tituláveis ​​podem ser imediatamente atualizados no registro para mostrar aumentos de dose ou diminuição, registrando exatamente quando eles aconteceram.

Caso contrário, o sistema dependerá do enfermeiro ou do operador, para inserir as alterações de dose e taxa no perfil do paciente manualmente.

Uma vantagem fascinante da tecnologia de bomba de infusão inteligente é a capacidade de capturar as informações do processo de programação da bomba para revisão e análise posterior. Tipicamente, as bombas de infusão inteligentes incluem bibliotecas de fármacos ou bases de dados de informação específica de fármaco.

 Desvantagens da bomba de infusão

Como as bombas de infusão são freqüentemente usadas para administrar fluidos críticos, incluindo medicamentos de alto risco, as falhas de bomba podem ter implicações significativas para a segurança do paciente.

Muitas bombas de infusão estão equipadas com dispositivos de segurança, tais como alarmes ou outros alertas do operador que se destinam a ativar em caso de problema. Por exemplo, algumas bombas são projetadas para alertar os usuários quando o ar ou outro bloqueio é detectado na tubulação que fornece fluido para o paciente.

bomba de infusão desvantagens

Ao longo dos últimos anos, questões de segurança significativas relacionadas com as bombas de infusão vieram a atenção do órgão de fiscalização nos Estados Unidos. Estas questões podem comprometer o uso seguro de bombas de infusão externas e levar a sobre ou sub-infusão, tratamentos perdidos, terapia atrasada, etc.

De 2005 a 2009, FDA recebeu aproximadamente 56.000 relatórios de eventos adversos associados com o uso de bombas de infusão. Durante esse período, os fabricantes realizaram 87 retiradas de bombas de infusão para tratar de questões de segurança identificadas.

Embora alguns eventos adversos possam ser o resultado do erro do usuário, muitos dos eventos relatados estão relacionados a deficiências no design e na engenharia do dispositivo, que podem criar problemas ou contribuir para o erro do usuário.

bomba de infusão software

Os tipos mais comuns de problemas relatados foram associados a defeitos de software, problemas de interface com o usuário e falhas mecânicas ou elétricas.

Em 2010, a FDA anunciou três etapas para melhorar a segurança das bombas de infusão:

(1) aumentar a conscientização do usuário;

(2) facilitar proativamente as melhorias do dispositivo;

(3) publicar novas orientações para a indústria.

CONCLUSÃO

Espero que este post tenha te auxiliado na busca de informações sobre bombas de infusão, quais são os tipos existentes e como funcionam.

Apesar dos avanços significativos com o uso das bombas de infusão, é necessário entender as demandas dos pacientes, do hospital, clínica e principalmente preparar os recursos humanos que irão operar o(s) equipamento(s).

Vale ressaltar que as bombas de infusão NUNCA serão o substituto do ser humano na realização das atividades de rotina médica. A humanização dos procedimentos de saúde devem se desenvolver no ritmo que surgem novas tecnologias (algumas podem ser confundidas como “automatização” dos procedimentos de saúde), mas o amparo aos pacientes deve ser a prioridade número UM na medicina.

E você, conhece uma bomba de infusão na prática? Manuseia esse equipamento no seu ambiente de trabalho? Deixe seu comentário aqui no blog. Será uma satisfação conversar com você.

 

Um abraço e até o próximo post!

Impressão 3D na medicina: conheça 5 inovações surpreendentes

Olá meu amigo (a), você já observou como a medicina é dinâmica? Ela precisa evoluir continuamente, para encontrar as melhores soluções para a saúde das pessoas, seja preventivamente ou atuando no desenvolvimento de tratamentos e drogas. Foi por causa desse desenvolvimento constante que a impressão 3D chegou diretamente do futuro para estar aqui se tornou uma aliada da medicina. Então, Como a impressão 3D na medicina pode ajudar as pessoas? A lista de inovações é ampla mas resolvemos falar sobre 5 criações que são surpreendentes.

Uma das evoluções promovidas pela impressão 3D se refere a área médica ortopédica. A Organização Mundial de Saúde estima que existam cerca de 30 milhões de pessoas que precisam de membros protéticos (ou outros dispositivos de mobilidade), mas menos de 20% os possuem. Esses números revelam o tamanho da demanda que existe no mundo.

Impressão 3D na medicina: mais respeito ao ser humano?

Cada pessoa é fisicamente única e quando nos referimos a intervenções ortopédicas, em todo o planeta as pessoas precisam de um produto que se adapte à sua necessidade. Com o surgimento da impressão 3D, se tornou possível (ainda que em uma quantidade modesta) a fabricação de produtos extremamente personalizados (e não estou falando de preferências e sim de necessidades), que foram criados e desenvolvidos de forma única, atendendo exclusivamente às demandas daquela pessoa. Dos pés à cabeça, a impressão 3D ajuda a medicina a superar desafios.

A tecnologia anda de mãos dadas com a medicina. Elas nunca param e profissionais como cientistas, designers, empresários, inventores e criadores não descansam na busca de cada vez mais ferramentas que possam revolucionar o mercado mundial e tornar melhor a vida das pessoas.

Impressão 3D na medicina: o que é uma Impressora 3D?

Ok, você sabe o que significa, tridimensional; Você sabe o que é impressão, mas o que exatamente é a impressão 3D? Esta é uma pergunta muito boa.

Impressão 3D é o processo de criação de objetos sólidos e tridimensionais a partir de arquivos digitais. O processo é aditivo, ou seja, novas camadas são adicionadas às camadas já existentes do objeto sequencialmente até que a peça desejada seja criada. Veja um exemplo prático em velocidade acelerada, na imagem abaixo.

impressão 3d medicina
Impressora 3D trabalhando

Isto é, uma camada é cuidadosamente construída em cima da última camada do objeto, e cada camada forma uma seção fina, horizontal.

Legal! Agora que você já sabe o que é e como funciona (basicamente) uma Impressora 3D, vamos ao que interessa.

 

Impressão 3D na medicina: conheça 5 inovações

A impressão 3D na medicina pode ser revelada de diversas formas. Justamente por causa das várias criações existentes, fizemos uma listagem sobre as 5 inovações mais surpreendentes e como elas podem melhorar as nossas vidas.

1#Invisalign ( O aparelho dentário invisível)

impressão 3d medicina invisalign

A impressão 3D na medicina se revela num sorriso. Sorrir é um ato natural ao ser humano mas várias pessoas estão desapontadas com os dentes que possuem. Hoje em dia existe a opção de, através de um computador e uma impressora 3D, criar o seu aparelho ortodôntico.

Vamos conhecer a definição do produto Invisalign, segundo o seu fabricante:

Invisalign® é um aparelho ortodôntico transparente que reposiciona os seus dentes para você conquistar o sorriso perfeito com o mínimo de desconforto possível.”

 

Como funciona o tratamento com aparelho 3D

impressão 3d medicina invisalign

 

O dentista vai fazer vários registros fotográficos dos seus dentes, realizar radiografias e demais procedimentos que auxiliam no diagnóstico e na criação do planejamento para que seja traçado o seu tratamento. Todo esse material será utilizado na fabricação dos moldes em 3D, que se encaixam na sua dentição e que serão usados  para a correção do seu sorriso.

 

 

Como é feito o aparelho?

O aparelho é totalmente feito através de impressão 3D , com um material resistente e transparente, conhecido como termoplástico. A duração do tratamento varia de acordo com a necessidade do paciente e o custo pode ser uma desagradável surpresa.

Depois de prontos, os aparelhos são recebidos no consultório do seu dentista, que vai te orientar sobre o uso e todas as informações necessárias para você conseguir atingir o seu objetivo. Você receberá um conjunto de aparelhos alinhadores e a troca acontece conforme há o ajuste da dentição.

 

#2 Novacast- O substituto do gesso tradicional

Um acontecimento familiar negativo foi o motivo que levou um grupo de mexicanos a criar esta a empresa chamada Mediprint , que desenvolve produtos médicos de alta tecnologia, totalmente personalizados, fabricados através de impressão 3D. NovaCast é uma órtese de reabilitação, substituta do gesso convencional. A impressão 3D na medicina ortopédica é um grande auxílio na recuperação de lesões, fraturas, etc.

 

3d medicina novacast

 

A motivação para a criação da empresa MediPrint aconteceu em razão de uma fratura óssea sofrida por um familiar dos sócios, que teve uma redução de 50% nos movimentos em sua mão.

Assim, eles começaram a desenvolver uma prótese impressa chamada NovaCast, uma peça 3D que substitui o gesso convencional.

Vantagens do uso do Novacast

Segundo o seu fabricante, o item feito em 3D tem muitas vantagens ao gesso tradicional, entre elas:

  • Dez vezes mais leve que gesso convencional;
  • Você pode nadar com eles;
  • Não há perda de massa muscular;
  • Não tem que substituí-lo durante o tratamento.

Isso tudo é possível graças a ajuda da digitalização 3D, que mapeia a região do corpo que vai receber o produto.

O processo de criação pode ser conferido neste vídeo de divulgação da empresa.

 #3 Próteses ortopédicas

impressão 3d na medicina protese

A ausência de um braço ou perna pode ser uma realidade que revela muitos desafios, mas esse problema pode encontrar uma solução através da impressão 3D na medicina. O principal benefício é a produção rápida e acessível de produtos personalizados, adequados para uma ampla variedade de formas e tamanhos, feitos como dispositivos médicos para seres humanos.

Um exemplo prático de como a impressão 3D auxilia a personalização de próteses é a fabricação de peças adaptáveis para crianças, que com o passar do tempo precisam de novos itens em razão do seu crescimento físico.

impressão 3d na medicina crianca

Prótese igual a perna?

Acredita-se que o ponto chave para inovações no mercado de próteses ortopédicas foi a mudança no processo de fabricação desses aparelhos, os quais pretendiam reproduzir a visão estética do membro perdido, o que muitas vezes tornava inviável a reposição funcional.

No caso da impressão 3D, com um escaner portátil, é possível ter uma imagem digital em meia hora, enviá-la por e-mail e iniciar o processo de impressão do item em pouco tempo. O usuário pode recuperar a mobilidade num período curto de tempo.

O desenvolvimento de próteses personalizadas é o caminho mais valioso na aplicação da impressão 3D na área da Ortopedia. As matérias primas utilizadas na fabricação das peças e a modernização constante dos equipamentos são pontos fundamentais para que se atendam aos requisitos necessários para a fabricação de peças pequenas ou para a produção em alta escala.

 

4# Impressão 3D de células humanas (Bioprinting)

impressão 3d Bioprinting

 

Disparada essa é a intervenção mais polêmica da Impressão 3D na medicina. Não vamos entrar no mérito ético sobre a questão, iremos apenas abordar o que é. Bioprinting é a impressão tridimensional de tecidos biológicos e órgãos por camadas de células vivas humanas.

Enquanto esta área de produção ainda está em fase experimental e, atualmente, é utilizada principalmente em estudos científicos (ao invés de ciências aplicadas), a possibilidade de criação para a substituição de tecidos ou órgãos, um dia, transformará os tratamentos médicos.

Como se faz?

Bioprinting começa com a criação de um projeto com base na composição do tecido ou órgão. Em um ambiente de laboratório, um bioprinter usa essa informação para o design e depósito de finas camadas de células usando uma impressora 3D que se move para a esquerda e para a direita ou para cima e para baixo na configuração necessária. São utilizadas soluções solúveis de hidrogel para apoiar e proteger as células, bem como os tecidos que são construídos verticalmente.

Como resultado, o mercado de impressão 3D de cuidados de saúde está previsto para atingir cerca de 4,04 bilhões até 2018 . De próteses personalizadas a tecido vivo, a impressão 3D é um meio versátil de fornecer assistência eficaz e individualizada aos pacientes.

Com o advento de 3D bioprinting, as células podem agora ser distribuídas a partir da impressão 3D na medicina celular, é possível criar um andaime biologicamente compatível, camada por camada, para criar um tecido tridimensional. Numerosos tecidos foram construídos que podem ser usados ​​para uma série de aplicações clínicas de transplantes, servindo para a realização de pesquisas científicas.

Maiores Avanços do Bioprinting

Embora 3D bioprinting ainda seja uma tecnologia relativamente nova, há notável sucesso dentro deste campo, com implicações maiores, conforme a tecnologia se desenvolve. Alguns dos avanços notáveis ​​em impressão 3D de células humanas podem revolucionar o setor de saúde.

São eles:

Os vasos sanguíneos

impressão 3d na medicina vasos

Uma das limitações principais para a construção de órgãos artificiais para implantes tem sido a falta de vascularização (a capacidade de transportar sangue e outros materiais através dos vasos sanguíneos para células individuais), a fim de manter a saúde do órgão. No entanto, uma equipe de Harvard tem desenvolvido um método para a criação de canais ocos que permitem que o sangue flua ao longo do órgão, essencialmente funcionando como vasos sanguíneos.

 

Este novo desenvolvimento permitirá aos cientistas construir tecidos mais grossos e mais complexos.

Válvula do Coração

Médicos do Instituto Henry Ford, nos Estados Unidos,  tem utilizado Bioprinting para recriar corações e válvulas. As réplicas exatas de órgãos individuais são de valor inestimável para o melhor tratamento dos pacientes. Como todos sabemos, cada um de nós tem conjuntos exclusivos de impressões digitais, mas um fato menos conhecido é que todos nós temos diferentes corações e válvulas.

Bioprintig está prevendo o futuro?

Os modelos gerados pelas impressoras 3D permitem que o médico examine em detalhes o funcionamento interno do coração sem fazer uma única incisão. Isto possibilita aos médicos poderem analisar a viabilidade de um candidato para procedimentos de alto risco, bem como a colocação e ajuste personalizado de próteses, ajudando os médicos a antecipar os ajustes que podem ser necessários quando a cirurgia começar (veja o vídeo abaixo).

 

5# Impressão 3d da ultrassom do bebê

impressão 3d na medicina bebe

Por que você ficar com uma imagem da ultrassom do seu bebê, se você poderia ter uma réplica 3D, graças à magia da impressão 3D na medicina obstétrica?

Os pais que simplesmente não querem esperar até o nascimento para segurar o seu bebê, agora têm uma solução: eles podem fazer a impressão de uma réplica em tamanho real, para que você possa preservar essas memórias para sempre.

Usando um equipamento de exame ultrassom 3D ou 4D, é criado um arquivo de impressão 3D do rosto do bebê, que pode ser colocado em um corpo pré-fabricado ou manter apenas a estrutura da face.

Uma história emocionante

A empresa Huggies é uma fabricante de fraldas e criou um vídeo muito legal sobre o primeiro encontro de uma mãe deficiente visual com o seu filho. Detalhe: ele ainda está na barriga da mãe.

Como isso foi possível? Confira no vídeo abaixo.

https://www.youtube.com/watch?v=RMW4wv2mLow

 

Impressão 3D social

Um trabalho que merece destaque é realizado pela empresa IN UTERO 3D. Eles desenvolvem um projeto que possibilita que as mães deficientes visuais toquem os seus filhos, através da impressão 3D.

Este é um projeto que tem como público alvo as mães deficientes visuais, que através dessa nova tecnologia, tem a inesquecível oportunidade de sentir na ponta dos dedos o filho que está por nascer. A Espera pelo nascimento, as inúmeras sensações e emoções ligadas a gestação fazem dessa apresentação um momento único, deixando de ser um privilégio apenas das mães que podem enxergar o seu bebê através da ultrassom.

Na Polônia, algumas instituições parceiras da empresa IN UTERO 3D implementaram o projeto “Esperando sem barreiras”. O projeto permite que gestantes impossibilitadas de enxergar recebam uma impressão 3D da ultrassom pelo preço simbólico de R$3,00.

 

Mais inovações

Pesquisadores da Wake Forest Institute têm sido capazes de imprimir osso, cartilagem e músculo humano em tamanho natural. Estruturas de tecido são capazes de amadurecer e serem vascularizadas. Pele humana já é impressa para vítimas de queimaduras, assim como trilhos respiratórios para crianças e peças de reconstrução facial para pacientes com câncer.

Conchas de aparelhos auditivos e moldes auriculares personalizados tem sido fabricados sob medida, o que facilita a adaptação dos usuários ao uso dos aparelhos. A tecnologia que evolui rapidamente já produz diariamente milhares de coroas dentárias feitas com a ajuda de mapeamentos odontológicos e substitui os métodos tradicionais que têm sido usados ​​há séculos.

 

Considerações finais

A Impressão 3D na medicina praticada em hospitais e clínicas, pode ser uma excelente aliada, a fim de aumentar as chances de vida e a eficácia dos tratamentos. Porém, é necessário que se aprofundem as discussões éticas sobre o tema, afinal estamos falando da possibilidade de criação de partes humanas naturais a partir de um método artificial.

Pelo bem da vida humana é que a medicina evolui e traz consigo grandes aliados, como as impressoras 3D. Que toda essa tecnologia tenha a capacidade de transformar a vida de mais pessoas ao redor do mundo, melhorando a saúde e permitindo mais qualidade de vida.

 

Até o próximo post!

Luva descartável: comprar e como usar

Olá pessoal!

João Orlando aqui pra falar sobre um assunto que pode parecer bobagem, mas que muita gente ainda tem duvida sobre comprar Luva descartável e como usar!

Para te ajudar a comprar luvas descartáveis, neste artigo você terá acesso ao cupom de desconto para COMPRAR LUVA DESCARTÁVEL com o menor preço.

Basta clicar no link abaixo e você será encaminhado para a pagina de venda de luvas. Adicione o produto ao carrinho e, quando for finalizar a compra, digite o cupom de desconto POST10 e receba 10% de desconto no valor dos produtos.

COMPRAR LUVA DESCARTÁVEL COM DESCONTO

Colocar as luvas nas mãos e sair fazendo atendimento qualquer pessoa faz; Mas como evitar contaminações e manter a sua saúde e dos pacientes em condições adequadas, através das luvas?

Já parou pra pensar sobre os riscos de contaminação que a colocação errada da luvas pode te expor?

Além de comprometer a durabilidade do produto e colocar em risco o usuário, o desconhecimento pode causar a contaminação do paciente que está sob os seus cuidados.

Eu sei o quanto é importante você conhecer alguns procedimentos simples mas indispensáveis, dentro da rotina de trabalho na área de saúde.

Com as dicas do post de hoje você vai ficar ninja sobre luvas de procedimentos descartáveis.

O texto é bem esclarecedor, afinal você não deve ter nenhuma dúvida quanto a forma como deve calçar, retirar e descartar as luvas.

Tudo pronto? Então mãos à obra luva 😀

Luva descartável: Como escolher o tamanho

Pode aprecer lógico mas recomendo que você use luvas do tamanho mais adequado para você. Eu sei que as vezes isso não é possível, principalmente quando não é você quem é responsável por comprar luvas (comum quando se trabalha em hospitais, clínicas, etc).

Isso não significa dizer que você só fará o seu trabalho se tiver a luva do tamanho que você usa (PP por exemplo é um tamanho incomum e um pouco mais difícil de ser encontrado), mas tome cuidado para prevenir eventuais danos no material, o que pode expor você e o(s) paciente(s) a contaminação.

Existem inúmeros fabricantes de luvas e pode haver variação de tamanho entre eles (apesar de que as luvas devem seguir uma padronização no tamanho).

O wiki How fez um post que fala sobre “3 formas de medir o tamanho da mão”. Mas pra facilitar a sua vida, eu vou disponibilizar duas sugestões diretamente aqui no post.

Dica nº1: meça a sua mão

luva descartável - tamanho da mão

Pegue uma trena/régua e meça a largura da sua mão, contemplando o espaço entre o polegar e o dedo mínimo (conforme a imagem acima).

Em seguida, compare o tamanho da sua mão com as medidas padrão das luvas.

Verifique as dimensões das luvas na parte de baixo da embalagem (a foto acima foi tirada de um cartucho de luvas Supermax). Escolha a luva de acordo com o tamanho que mais se aproxima das medidas da sua mão.

Se preferir, você pode descobrir o tamanho ideal de acordo com a dica nº 2.

A #dica nº2 é: teste os vários tamanhos de luvas nas mãos, até você encontrar aquele tamanho que se ajusta melhor.

A desvantagem é que você vai precisar desperdiçar algumas unidades de cada tamanho (isto é, se você tiver disponíveis mais que um tamanho de luvas).

Se você não tem vários tamanhos de luvas para teste, procure uma loja de material hospitalar e peça para usar os tamanhos disponíveis.

Assim você não gasta comprando luvas sem necessidade. Confira mais dicas de como economizar na hora de comprar as luvas. Acesse o Guia completo de luvas de procedimentos.

Eu recomendo que você siga a dica nº1, assim você compra as luvas já no tamanho ideal pra você.

 

como colocar as luvas descartáveis

É importantíssimo saber como calçar as luvas, sejam elas de procedimento ou não. A resistência do produto, bem como a sua proteção (e do paciente, se for caso) dependem de como a luva foi colocada, se aconteceram danos durante a colocação e se ela é adequada ao tipo de serviço.

Não existem grandes mistérios para isso e você consegue fazer sozinho(a).

Vale ressaltar que, aqui estou me referindo ao uso de luvas de procedimentos. Quando se trata de cirurgia ou procedimentos que necessitem do uso de luvas estéreis, a forma de calçá-las é diferente.

#1 Retire anéis, pulseiras ou outras jóias das mãos.

luva descartável - tirar anel

Estes objetos podem contaminar suas luvas ou torná-las difíceis de calçar, além de serem desconfortáveis durante o uso.

Remover as suas jóias também minimiza o risco de rasgar suas luvas. Coloque os seus objetos em um lugar seguro, onde você pode facilmente encontrá-los, assim que tiver terminado o seu atendimento.

#2 Lave as mãos

luva descartável - lavar mao

Antes de tocar as luvas, recomenda-se a lavagem das mãos, que devem ser ensaboadas com água e sabão. Esfregue as mãos sob o fluxo de água durante pelo menos 20 segundos. Lave bem as suas mãos e pulsos, e em seguida, pode secá-los com papel toalha.

#3 Colocando as luvas

Primeiro você deve colocar a luva da mão dominante (aquela que você usa para escrever, fazer a maioria das atividades). Para isso, pegue a luva com a mão não-dominante; tente tocar apenas a parte interna do punho da luva.

Coloque a luva em sua mão dominante. Deixe a luva pendurada, com os dedos apontando para baixo. em seguida, deslize sua mão dominante na luva com a palma da mão voltada para cima e os dedos abertos.

Deixe para fazer ajustes somente quando a outra luva estiver calçada.

Repita o procedimento para colocar a segunda luva.

Agora você pode ajustar as luvas.

Aproveite e verifique se as luvas estão rasgadas. Alguns produtos podem se danificar enquanto você as coloca nas mãos.

Depois de calçar as luvas, observe as seguintes situações:

#1 A luva permite mover as mãos confortavelmente?

#2 Há folga entre a sua pele e as luvas ou estão apertadas demais?

#3 É possível realizar movimentos simples como abrir e fechar as mãos?

#4 As luvas causam cansaço muscular nas mãos?

Seguindo essas dicas, você diminui a possibilidade de escolher/usar luvas inadequadas às suas mãos.

Como retirar as luvas descartáveis

Antes de seguir na sua maratona de trabalho, você precisa descartar as luvinhas que carregam milhões de bactérias, fungos e vírus (no caso de luvas de procedimento em saúde).

Mais uma vez, descrevo outro passo a passo pra te ajudar a diminuir os riscos de contaminação, afinal você teve todo o cuidado em evitar problemas e sujeira, não é agora que vai permitir que alguma coisa fora do padrão aconteça.

Se preferir, assista ao vídeo que mostra como fazer a remoção das luva rapidamente.

#1 Agarre a luva na parte externa, cerca de 5cm do punho (borda da abertura da luva). Não toque no pulso com a outra mão.

#2 Puxe a luva, segurando com firmeza, de dentro para fora.

#3 Segure a luva removida com a mão que ainda está calçada

#4 Insira o dedo da mão nua sob o manguito da mão enluvada

#5 Puxe a luva no sentido da ponta dos dedos, até que saia completamente, formando uma “embalagem” ao redor da primeira luva.

#6 Descarte as luvas em um recipiente coletor de resíduos contaminados.

É justamente  sobre essa etapa que vamos falar a seguir.

 Como descartar as luvas de procedimento

Cumpridas (quase) todas as etapas relacionadas ao uso das luvas descartáveis, chegamos a fase de descarte.

Os estabelecimentos de saúde devem possuir compartimentos para o descarte dos resíduos, de acordo com a classificação do resíduo que é gerado.

Quanto as luvas, elas se enquadram na classificação do “GRUPO A – RESÍDUOS COM RISCO BIOLÓGICO”

A coleta de ser realizada por empresa especializada, que irá encaminhar os resíduos de saúde para a destinação final adequada (geralmente a incineração).

Existem algumas empresas que reciclam as luvas de procedimentos e transformam os resíduos em novos produtos como cadeiras. Mas esse é o tema de um outro post aqui no blog da Welbox.

Se você gostou desse artigo, deixe o seu comentário falando sobre qual parte te interessou mais.

Acompanhe a Welbox pelo facebook e Instagram.

Um abraço e a gente se fala no próximo post!

Luvas de procedimentos: o guia completo

Olá, seja muito bem vindo a este post. Hoje vamos falar sobre luvas de procedimentos, um item indispensável e obrigatório nas atividades de saúde.

O uso de luvas de procedimentos (quando se realiza tarefas de auxílio aos pacientes) é considerada indispensável pois cria uma proteção entre os agentes transmissores, sejam eles os pacientes ou os próprios profissionais de saúde.

Segundo a Revista Brasileira de Odontologia, o maior número de ocorrências causadas por contaminação biológica se dá nos profissionais de Odontologia.

Essa informação se sustenta na rotina profissional desta classe: eles tem acesso a materiais perfurocortantes, equipamentos que produzem vapores de água, além do contato direto com fluidos corporais.

Mas afinal, o que deve ser feito para minimizar as chances de contaminação e manter os profissionais e os pacientes mais seguros?

A melhor forma de evitar/prevenir é a utilização de EPI’s, os tão falados “Equipamentos de Proteção Individual“.

A luva de procedimento é um dos principais equipamentos de proteção dos profissionais de saúde.

 

O que são luvas de procedimentos?

 

Você já deve ter se deparado com uma luva de procedimento, provavelmente durante algum atendimento médico (procedimento médico, intervenção cirúrgica, na consulta com o dentista, etc).

Dentro de um universo variado de modelos, os tipos mais comuns de luvas para uso na área de saúde são as luvas de procedimentos (não estéreis) e as luvas cirúrgicas (estéreis). Neste post vamos falar mais sobre as luvas de procedimentos não estéreis.

 

luva de procedimento antiga

As primeiras luvas de procedimentos surgiram nos Estados Unidos, conforme o relato do criador, o médico Dr. Halsted, que desenvolveu o utensílio para proteger as mãos da sua enfermeira que sofria de dermatite grave, em razão do contato direto com os desinfetantes cloreto mercúrico e ácido carbólico (fenol). Ele fez uma encomenda junto à empresa  Goodyear Rubber Company,  com o objetivo de criar um experimento a partir de dois pares de luvas.

O experimento deu tão certo que ele ampliou as encomendas, contemplando o equipamento a outro membro da equipe médica, como relatou Sherwin Nuland em seu livro “Médicos: The Biography of Medicine “.

O conceituado site TEDx criou uma animação bem legal, contando como foram criadas as primeiras luvas de uso médico. Veja abaixo:

 

Quais são os tipos de luvas de procedimentos?

Podemos classificar as luvas de acordo com os materiais que são fabricadas: a mais comum é a luva de procedimentos de látex. Também existe a luva de procedimento nitrílica, a qual é composta de matéria prima sintética. Existe uma grande polêmica sobre o uso da luva de procedimento de vinil para procedimentos de saúde. Vamos ver mais detalhes sobre cada luva citada.

 Luva de Procedimento de Látex

luva de latex

Fabricadas a partir do líquido de coloração branca extraído da árvore da espécie Hevea brasiliensis, 
as luvas de látex são o modelo mais comum para uso na área de saúde. Mais elásticas que as luvas nitrílicas, elas apresentam melhor resistência à perfuração quando comparadas às luvas de vinil. A maioria dos fabricantes oferece produtos de boa qualidade, uma vez que devem atender as exigências de três órgãos: Inmetro, Anvisa e Ministério do trabalho.
As luvas de látex são comercializadas com ou sem o pó de amido, que serve para facilitar a colocação das luvas nas mãos, além de absorver a transpiração durante o uso. Oferecem proteção contra o contato com sangue, fluídos
orgânicos, membranas mucosas, artigos contaminados e durante procedimentos não invasivos.
Extração de látex para fabricação de luvas (foto: descarpack)
Algumas luvas de látex apresentam um punho estendido, um pouco mais longo para proteção extra.
Se você usa luvas durante longos períodos do dia, dê referência a luvas anatômicas (fabricadas de acordo com o contorno e a forma natural da sua mão) para que ela não fique esticada e seja possível realizar os movimentos relacionados a sua atividade, sem nenhuma limitação.
Não é recomendado usar as luvas de látex se você tiver alergia a essa matéria prima. Existem outras opções de luvas descartáveis ​​sem látex, como a Luva nitrílica.

 

Luva de procedimento nitrílica

luvas nitrilica az 2

Nitrilo é feito de borracha sintética e surgiu como uma alternativa popular às luvas de látex no setor de saúde. Assim como as luvas de látex, as luvas nitrílicas  são adequadas para procedimentos que tem a possibilidade de exposição a agentes patogênicos transmitidos pelo sangue e outros contaminantes ambientais, como a indústria médica e odontológica. Possui resistência mecânica três vezes maior que o látex ou vinil e é isenta do pó de amido.

Em geral, as luvas médicas devem atender a rigorosos testes e requisitos de segurança. Aprovadas pelos órgãos do governo, elas oferecem resistência, durabilidade e proteção, além de terem se tornado a alternativa sintética preferida à borracha natural na indústria médica. São utilizadas por médicos, odontólogos e profissionais da área de estética, tatuadores, veterinários, etc. Suas cores possibilitam que seja utilizada de forma lúdica, entretendo os pacientes durante o atendimento.

variedade de cores das luvas nitrílicas permite um atendimento mais descontraído.

A escolha correta do tamanho das luvas é fundamental para um bom desempenho do trabalho e o aumento  da segurança contra contaminações.

Luva de vinil

luva de vinil

As luvas de vinil ajudam a reduzir as reações alérgicas pois são livres de látex e oferecem resistência, durabilidade e proteção. Elas também são aprovadas pela ANVISA para uso médico, odontológicos, de assistência infantil e cuidados de saúde que não envolvam o contato com fluidos corpóreos possíveis de contaminação. O vinil também é adequado para serviços de alimentação, manuseio de alimentos, encanamento, manutenção de janelas, agricultura, pintura e outras aplicações industriais.

As luvas de vinil descartáveis ​​oferecem segurança e higiene em uma variedade de ambientes de trabalho. Elas se mostram mais rentáveis ​​que as luvas de látex ou de nitrilo por causa do seu custo inferior, oferecendo proteção de barreira adequada para tarefas curtas e rápidas. Oferece um ajuste e sensação semelhantes do látex sem os alérgenos encontrados na matéria prima.

O vinil é um material de luva sintética feito de cloreto de polivinilo (PVC). Ao contrário das luvas de nitrilo, que também são feitas de materiais sintéticos, as luvas de vinil consistem apenas em monómeros de PVC, tornando-os mais econômicos. Algumas substâncias são adicionadas ao PVC para tornar o material flexível, caso contrário, o PVC seria rígido (igual aos tubos de encanamento).

O material de PVC também possui excelente sensibilidade tátil para trabalhar com uma superfície texturizada. O vinil é menos elástico do que o nitrilo e o látex, dando-lhe um ajuste mais solto e uma sensação suave e confortável.

Já que também tem o reuso proibido, o vinil descartável ​​é uma escolha econômica para tarefas que exigem a troca de luvas com freqüência, se tornando uma escolha de luvas de baixo custo para a realização de serviços alimentícios, procedimentos simples de saúde e aplicações industriais.

Se existem tantas vantagens, qual a polêmica?

A polêmica gira em torno da segurança oferecida pelas luvas de vinil, já que é o modelo menos resistente entre as três luvas citadas neste post. Em muitos casos, ela é utilizada em procedimentos onde deveria ser utilizada a luva de látex ou nitrílica, simplesmente para reduzir os custos com material hospitalar.

O risco de contaminação é enorme pois as luvas de vinil são recomendadas para uso em procedimentos onde não haja o contato com fluidos corpóreos possíveis de contaminação.

Se você tem interesse em saber como reduzir seus custos com luvas de procedimentos, leia nosso post sobre “Os 3 passos para reduzir seus custos com luvas de procedimento”.

 

Por que usar luvas de procedimentos?

É possível afirmar que as luvas cirúrgicas e de procedimentos são proteções essenciais para evitar o contágio de doenças como hepatite B e HIV.

No entanto, é preciso que seja avaliada a integridade do material, ou seja, se não possui defeitos ou quaisquer danos, evitando contaminações.

Basicamente,  as luvas possuem três funções:

√ Aumento da segurança do usuário contra possíveis infecções (através do sangue, saliva, mucosas, etc);

√ Aumento da proteção contra a transmissão de organismos presentes nas mãos do profissional de saúde;

√ Aumento da proteção contra a transmissão entre pacientes.

 

Vejamos a orientação da ANVISA, a respeito da proteção oferecida pelas luvas:

 

“A OMS alerta que os profissionais de saúde devem ter ciência de que luvas não oferecem proteção completa contra a contaminação, razão que justifica a importância da correta higienização das mãos antes de calçar as luvas. Conforme destaca a OMS, os patógenos podem ter acesso às mãos dos profissionais usuários de luvas por meio de pequenos defeitos nas luvas ou por contaminação das mãos durante a sua remoção . Essa possibilidade fortalece a necessidade básica de também fazer a higiene das mãos para garantir sua descontaminação após a remoção das luvas. “

 

Luva de procedimento é um EPI?

Podemos considerar um Equipamento de Proteção Individual (EPI) todo aquele equipamento, material ou utensílio que minimiza os riscos contra a integridade física do profissional.

Mas para que seja de fato classificado como um EPI, é necessário que o produto obtenha o chamado Certificado de Aprovação (CA), um tipo de atestado técnico de que determinado produto se mostrou eficaz na realização dos testes.

Existem inúmeras luvas de procedimentos disponíveis à venda e você pode solicitar ao vendedor que informe se a luva possui C.A. Dessa forma,  você terá certeza de estar adquirindo um produto de qualidade aprovada pelos órgãos regulamentadores e estará contribuindo com a sua saúde e a dos pacientes.

 

Quando usar luvas de procedimentos?

Existem algumas regras e situações específicas que devem ser seguidas para que não hajam (ou pelo menos sejam minimizadas) contaminações causadas pela falta de uso das luvas de procedimentos.

Devemos lembrar que a segurança e a saúde no trabalho em serviços de saúde devem atender às normas expostas pela NR 32.

 

Indicação de uso das luvas

De acordo com o tipo de serviço que será realizado, podemos classificar o uso das luvas da seguinte forma:

 

LUVAS CIRÚRGICAS

√ Qualquer procedimento cirúrgico: parto vaginal; procedimentos radiológicos invasivos; procedimentos de acesso vascular (linhas centrais); preparo de nutrição parenteral total e de agentes quimioterápicos.

 

LUVAS DE PROCEDIMENTOS NÃO-CIRÚRGICOS 

√ Possibilidade de contato com sangue, fluidos corporais, secreções, excreções e objetos/artigos visivelmente sujos com fluidos corporais.

√ EXPOSIÇÃO DIRETA AO PACIENTE: contato com sangue, membrana mucosa e pele não intacta; possível presença de microrganismos altamente infecciosos ou danosos; inserção e remoção de cateter IV; drenagem de sangue; interrupção de linha venosa; exame pélvico ou vaginal; aspiração de sistemas abertos de tubos endotraqueais.

√ EXPOSIÇÃO INDIRETA AO PACIENTE: esvaziamento de utensílios de êmese; limpeza e manuseio de materiais; manuseio de resíduos; limpeza e desinfecção de fluidos corporais derramados.

 

QUANDO NÃO É INDICADO O USO DE LUVAS DE PROCEDIMENTOS (exceto para precauções de CONTATO)

√ Quando não há possibilidade de exposição ao sangue, fluidos corporais ou ao ambiente contaminado.

√ EXPOSIÇÃO DIRETA AO PACIENTE: determinação da pressão arterial, temperatura e pulso; aplicação de injeções ID e SC; auxílio no banho e ato de vestir o paciente; transporte do paciente; cuidados com os olhos ou ouvidos (sem secreção); qualquer manipulação de linha vascular sem vazamento de sangue.

√ EXPOSIÇÃO INDIRETA AO PACIENTE: uso de telefone; manuseio do prontuário do paciente; administração de medicação oral; distribuição ou coleta da bandeja de alimentação do paciente; remoção ou troca da roupa de cama; posicionamento de equipamento de ventilação não invasivo; movimentação da mobília do paciente.

 

luvas - quando usar
Fonte: Folha informativa 6 – Anvisa – O primeiro desafio mundial para a segurança do paciente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reunimos 10 dicas sobre luvas de procedimentos e fizemos um infográfico contendo informações importantes sobre esse produto essencial para quem atua na área de saúde.

 

DICAS SOBRE LUVAS DE PROCEDIMENTO

 

Como se faz luvas de procedimentos?

As luvas de procedimentos seguem um rito bem específico para serem criadas. Apesar de todo o avanço industrial e tecnológico, o processo de fabricação das luvas começa no seringal, onde é extraída a borracha que vai ser matéria prima para a fabricação.

Acompanhe o passo a passo da fabricação neste vídeo abaixo.

 

Onde comprar luvas de procedimentos barata?

Na verdade essa pergunta pode ser transformada em Como comprar luvas de procedimentos barata?” Te explico.

Vamos imaginar que você já tem experiência no uso desse produto e já sabe a quantidade estimada de luvas que foram utilizadas nos últimos 90 dias, por exemplo. Com essa informação, é possível programar uma compra mensal baseada nas suas necessidades, o que torna o valor das luvas mais baixo e te garante sempre ter a mercadoria em estoque (mesmo que seja uma quantidade mínima).

Realizar uma compra planejada de luvas de procedimentos significa dizer que não haverá estocagem desnecessária de produtos, garantindo que recursos financeiros não sejam imobilizados e que não faltará o produto antes do próximo pedido.

Comprar na loja física ou pela internet?

Existem inúmeras lojas físicas e sites na internet que vendem material médico hospitalar. A Welbox oferece vantagens exclusivas para os seus clientes, bem como a possibilidade de programar a entrega das luvas de procedimentos todos os meses, na quantidade que você precisa e diretamente no endereço que escolher.

Basta acessar a loja online e conferir os modelos disponíveis.

 

CONCLUSÃO

 

Eu espero que esse post tenha te ajudado a entender melhor para quê servem as luvas de procedimentos, de que forma você pode escolhê-las melhor e quais os riscos que envolvem a ausência de luvas na sua atividade profissional.

Nunca é demais lembrar: a saúde é o seu bem mais precioso e você é o maior interessado em mantê-la. Não há dinheiro no mundo que consiga comprar saúde.

Acompanhe as novidades em nossas redes sociais.

Deixe o seu comentário que terei muito prazer em respondê-lo.

 

Um abraço e até mais!