bomba de infusão: o que é?

Neste artigo eu vou te ensinar o que é uma bomba de infusão, quais os principais problemas e como eles são causados.

Conhecer melhor a bomba de infusão, principalmente se você é um profissional da área de saúde, te ajuda a prevenir/evitar que problemas aconteçam com o equipamento, trazendo mais tranquilidade ao ambiente de trabalho.

Mas antes que eu te fale o que é uma bomba de infusão, eu preciso que você saiba que este não é um artigo que pretende substituir os seus estudos e prática no manuseio deste equipamento tão importante.

Se o local onde você trabalha tiver o compromisso de cuidar de verdade da saúde dos pacientes, você receberá todo o treinamento necessário para manusear as bombas de infusão.

Na verdade, este artigo complementa as informações e treinamentos que você teve/terá para manusear a bomba de infusão.

tipos de bombas de Infusão

Uma bomba de infusão externa é um dispositivo médico usado para fornecer fluidos no corpo de um paciente de maneira controlada.

Existem muitos tipos diferentes de bombas de infusão, que são usadas para vários fins e em vários ambientes.

Resultado de imagem para bombas de infusão

As bombas de infusão podem ser capazes de fornecer fluidos em quantidades grandes ou pequenas e podem ser usadas para fornecer nutrientes ou medicamentos – como insulina ou outros hormônios, antibióticos, medicamentos de quimioterapia e analgésicos.

Algumas bombas de infusão são projetadas principalmente para uso estacionário no leito de um paciente. Outros, chamados de bombas de infusão ambulatoriais, são projetados para serem portáteis.

Uma série de bombas de infusão comumente usadas são projetadas para fins específicos. Esses incluem:

  • Bomba enteral – Uma bomba usada para fornecer nutrientes líquidos e medicamentos no trato digestivo do paciente.
  • Bomba de analgesia controlada por paciente (PCA) – Uma bomba usada para administrar medicação para dor, que está equipada com uma característica que permite aos pacientes auto-administrar uma quantidade controlada de medicação, conforme necessário.
  • Bomba de insulina – Uma bomba normalmente utilizada para administrar insulina a pacientes com diabetes. As bombas de insulina são freqüentemente usadas em casa.

As bombas de infusão podem ser alimentadas eletricamente ou mecanicamente. As diferentes bombas operam de diferentes maneiras. Por exemplo:

  • Em uma bomba de seringa , o fluido é mantido no reservatório de uma seringa e um pistão móvel controla a entrega do fluido.
  • Em uma bomba elastomérica , o fluido é mantido em um reservatório de balão esticável, e a pressão das paredes elásticas do balão impulsiona a entrega do fluido.
  • Em uma bomba peristáltica, um conjunto de rolos se encaixa em um comprimento de tubo flexível, empurrando o fluido para a frente.
  • Em uma bomba multicanal, os fluidos podem ser entregues a partir de múltiplos reservatórios a taxas múltiplas.
  • Uma ” bomba inteligente ” está equipada com recursos de segurança, como avisos de usuário que se ativam quando existe o risco de uma interação adversa de medicamentos ou quando o usuário ajusta os parâmetros da bomba fora dos limites de segurança especificados.

Bomba de infusão com problemas

Um problema na bomba de infusão não é algo grave, porém, deve ser tratado com bastante atenção. Os problemas mais comuns em bombas de infusão são os seguintes:

  • Problemas de software
  • Erros de alarme
  • problemas causados por “fatores humanos”
  • Componentes quebrados
  • Falhas de bateria
  • Incêndio, faíscas, carbonização ou choques

Problemas de software

 

 

Bomba de infusão com problemas

Uma mensagem de erro de software é exibida, indicando que a bomba não está funcionando corretamente.

Isso ocorre na ausência de um problema identificável.

A bomba de infusão interpreta um único toque de tecla como várias batidas de tecla (um problema chamado “salto de tecla”).

Por exemplo, o usuário programa uma taxa de infusão de 10 mL / hora, mas o dispositivo registra uma taxa de infusão de 100 mL/hora.

Erros de alarme

É quando a bomba de infusão não consegue gerar um alarme audível para um problema crítico, como uma oclusão (por exemplo, tubulação fixa) ou a presença de ar na tubulação de infusão.

Neste caso, a bomba de infusão gera um alarme na ausência de uma oclusão.

Problemas causados por “fatores humanos”

Na foto, uma fenda de cabelo na dobradiça é claramente visível.
Foto de uma dobradiça de porta rachada resultante do estresse causado por tubulação desalinhada

 

Pode ser que as funções presentes na tela da bomba de infusão confundam o usuário, ou então a bomba de infusão não responda como deveria (ou seja, com um aviso ou alarme) quando dados inadequados são inseridos.

A tela da bomba de infusão não deixa clara quais unidades de medida que o usuário deverá entrar.

Por exemplo, o usuário pode inserir peso em libras quando a bomba de infusão o requer em quilogramas.

As etiquetas ou componentes da bomba são danificados sob o uso rotineiro.

Por exemplo, limpar a bomba, como o responsável pelo uso acredita ser uma prática aceitável, pode danificar a bomba, tornando-a pouco confiável para uso clínico.

Os usuários com unhas compridas podem danificar a impressão nas chaves da bomba, tornando-as ilegíveis.

As instruções do usuário ou dicas para configuração mecânica não são específicas ou suficientemente claras.

Por exemplo, uma instrução para conectar um conjunto de tubulação em todos os clipes de suporte do tubo necessários antes de fechar a porta de acesso da bomba pode não ser clara, resultando em tubos apertados e infusão.

As funções e configurações de alarme adequadamente projetadas, fazem com que os usuários não percebam problemas ou respondam tarde demais.

Um alarme que indica pouca carga da bateria pode não ser exibido a tempo para que um usuário evite o desligamento da bomba durante uma infusão crítica, enquanto o paciente está no transporte.

Os alarmes falsos (“incômodos”) podem diminuir a sensibilidade dos usuários para todos os alarmes.

O design da tela da bomba de infusão é complicado ou confuso para os usuários, causando um atraso na terapia.

Por exemplo, a chave “Start Infusion” pode estar localizada ao lado da tecla “Power”, e um usuário pode desligar a bomba de infusão em vez de iniciar a infusão.

Em alguns casos, as configurações programadas são perdidas quando um usuário desliga a bomba e as configurações de infusão devem ser inseridas novamente após a reinicialização da bomba.

Os avisos são exibidos com tanta frequência que os usuários passam a ignorá-los (semelhante a “alarmes de incômodo”) e não são detalhados o suficiente para evitar mau uso.

Eles também podem representar valores de maneiras que não são familiares para o usuário.

Falha de configuração

Os manuais do usuário são confusos, inadequados, desatualizados ou então não existem. Isto é particularmente preocupante para os usuários que não tem experiência no manuseio do equipamento.

Ao comunicar os aspectos críticos do estado operacional, padrão ou “piggyback” da bomba, o sistema não usa linguagem fácil de entender ou não fornece informações suficientes para orientar usuários através de ações apropriadas.

Bomba de Infusão com falhas de bateria

Um problema de design causa superaquecimento da bateria e ocasiona uma falha prematura da bateria.

A bateria danificada está visivelmente inchada e a caixa separada ao longo de uma costura. Uma bateria saudável é mostrada para comparação.

Imagine a seguinte situação: Um paciente retorna do ambulatório e a equipe médica esquece de conectar a bomba de infusão.

A bomba de infusão alarma com uma mensagem de bateria fraca, mas o volume do alto-falante está muito baixo e o alarme passa despercebido.

A bomba de infusão desliga após a bateria estar esgotada. Então a bateria não é substituída durante a manutenção de rotina recomendada e o equipamento fica sem uso, devido a um simples problema de manutenção.

Fogo, faíscas, carbonização ou choques na bateria

O usuário liga ou desconecta o dispositivo de uma tomada elétrica e recebe um choque, e/ou faíscas são vistas.

Um cheiro característico ou chamas são observados na bomba de infusão.

A foto abaixo mostra uma bomba de infusão marcada como tendo sido incendiada. A imagem aproximada dos conectores da bomba mostra o plástico derretido e carbonizado.

A foto mostra uma bomba de infusão marcada como tendo sido incendiada. Um closeup dos conectores da bomba mostra o plástico derretido e carbonizado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

É preciso ter bastante atenção no manuseio das bombas de infusão, bem como seguir um rígido programa de manutenção nos equipamentos, para que não hajam complicações decorrentes de falhas causadas pelas bombas.

A preservação da vida é o maior objetivo do uso destes equipamentos, não sendo admissível que ocorram problemas que poderiam ser perfeitamente evitados.

×
×

Carrinho