Bomba de Infusão: quais são os modelos, como funcionam, características

O assunto do post de hoje é Bomba de Infusão.

É um tema extremamente específico, afinal, os equipamentos são desconhecidos da grande maioria da população, inclusive de boa parte dos pacientes que estão “conectados” a máquina mas não sabem da sua importância.

bomba de infusão - paciente

É justamente por causa da importância desse equipamento na medicina moderna que resolvi escrever um pouco sobre quais são os modelos de bomba de infusão, como funcionam e suas principais características.

Por causa do constante avanço no desenvolvimento de novos equipamentos, é possível que algum modelo de bomba de infusão não tenha sido citado nesse artigo; neste caso, peço a sua colaboração deixando um comentário sobre o modelo da bomba de infusão que gostaria de receber mais informações. Este blog é feito para você e será uma satisfação ouvir a sua sugestão.

Vou deixar de papo e falar sobre as bombas de Infusão!

Bomba de Infusão (Perfusão)

Uma bomba de infusão é um dispositivo médico que fornece fluidos, tais como nutrientes e medicamentos, no corpo de um paciente em quantidades controladas. Bombas de infusão são muito comuns em ambientes clínicos como hospitais. Também podem ser utilizadas na residência de pacientes que precisam de cuidados especiais (home care).

bomba de infusão - quimioterapia

Em geral, uma bomba de infusão é operada por usuário treinado, que programa a quantidade e a duração da distribuição de fluidos, através de uma programação feita diretamente no equipamento, graças ao software que controla todas as suas ações.

As bombas de infusão oferecem vantagens significativas sobre a administração manual de fluidos (aplicação de injeções no paciente), incluindo a capacidade de fornecer medicação em volumes muito pequenos, disponibilização precisa das taxas programadas, realização de profusão em horários específicos, tudo de forma automatizada.

Podem ser fornecidas substâncias como insulina ou outros hormônios, antibióticos, medicamentos quimioterápicos e analgésicos, etc.

As marcas de bombas de infusão mais tradicionais no mercado brasileiro são: B Braun, LifeMed, Samtronic, Accu Chek e Medtronic

Tipos de Bombas de Infusão

Existem muitos tipos, os quais citamos: Bomba de Infusão de Grande volume, Bomba de Infusão ACP (Analgesia controlada pelo paciente), Bomba Elastomérica, Bomba de Infusão de Seringa, Bomba de Infusão Enteral e Bombas de insulina.

modelos de bombas de infusão

As bombas são projetadas principalmente para uso estacionário na cabeceira da cama do hospital, próximo do paciente. Outros modelos chamados de bombas de infusão ambulatorial são projetados para serem portáteis, tornando o uso mais prático e permitindo mais liberdade ao paciente.

Bomba de Infusão Enteral

bomba de infusão enteral bbraun

Uma bomba de alimentação enteral é um dispositivo médico eletrônico que controla o tempo e a quantidade de nutrição entregue a um paciente durante a alimentação.

A alimentação Enteral

A alimentação enteral é um procedimento no qual o médico insere um tubo no trato digestivo do paciente para fornecer nutrientes líquidos e medicamentos ao corpo.

A alimentação por tubo é administrada a pacientes que não podem comer normalmente. A Alimentação enteral é realizada quando o paciente tem lesão ou outra condição que afeta o processo normal de ingestão e digestão no trato gastrointestinal, por exemplo. A bomba de alimentação enteral garante que a quantidade certa de líquido é administrado ao corpo ao longo de um dia.

bomba de infusão enteral ciclo

O tubo (ou cateter) pode ser inserido em vários locais, geralmente o nariz, estômago ou intestino delgado , dependendo das necessidades do paciente. Um tubo nasal é um procedimento não-cirúrgico em que um tubo é executado através da passagem do paciente nasal, para baixo do esôfago, e para o estômago.

Os pacientes que não são elegíveis para um tubo nasal, como aqueles com lesões na face média ou obstruções no esôfago, podem receber um tubo de alimentação gástrica . Durante este procedimento, o tubo é colocado cirurgicamente no estômago, evitando assim o nariz, boca e garganta, mas ainda usando o estômago.

Alimentação 24 horas

A dieta é introduzida na bomba de alimentação enteral eletrônica, que controla o fluxo da nutrição para que o paciente receba uma quantidade medida de líquido continuamente durante um período de 24 horas. Os pacientes que estão administrando a nutrição enteral de forma independente, podem optar por ajustar sua alimentação durante o sono, permitindo ficar sem a bomba durante o dia.

Geralmente, uma bomba de alimentação enteral é muito precisa, mas falhas nos mecanismos eletrônicos podem causar excesso ou pouca nutrição para o paciente. Muitas bombas vêm com recursos de segurança para tornar esse erro extremamente improvável. Esses dispositivos também podem vir equipados com uma bateria que entra em ação assim que o fornecimento de energia é interrompido.

Bomba Analgesia Controlada por Paciente (PCA)

Uma bomba de analgesia controlada por paciente (PCA) é um dispositivo de controle da dor usado em hospitais e, ocasionalmente, em casa. Esta “bomba de dor” permite a administração de analgésicos intravenosos para aliviar a dor de forma rápida e eficaz.

bomba de infusão PCA

O paciente no controle

Uma bomba de analgesia controlada por um doente pode ser ajustada para administrar uma infusão contínua de medicamento para dor ou quando o paciente aperta um botão. Nos casos em que há necessidade de doses elevadas de medicação para aliviar a dor, o dispositivo pode ser programado para fornecer uma infusão contínua; O paciente também pode ser capaz de pressionar um botão quando necessário para doses extras de medicamento. Os medicamentos para dor mais comuns usados ​​nessas bombas são a morfina e 0 Demerol.

Uma bomba de PCA é usada frequentemente para o controle da dor no cuidado pós operatório. Também pode ser usado para pessoas com condições crônicas de saúde, como câncer.

O médico determina a quantidade de medicação de dor que o paciente deve ter. Esta bomba tem um dispositivo de cronometragem que pode ser programado para evitar que o paciente receba uma superdosagem de medicação.

Se o tempo de bloqueio for definido por dez minutos, por exemplo, o paciente receberá apenas uma dose de medicação para dor a cada dez minutos, não importa quantas vezes ele apertar o botão de acionamento do equipamento.

bomba de infusão pca - com chave

A bomba contra a dor é considerada um equipamento seguro de usar porque possui um dispositivo de segurança protegido com uma chave especial, ou seja, apenas uma enfermeira ou outro profissional médico pode alterar as configurações na bomba.

Se uma configuração não estiver correta ou se algo estiver errado com a bomba, imediatamente será disparado o dispositivo sonoro que alerta sobre a situação. As configurações na bomba APC devem ser verificadas por dois profissionais de saúde qualificados, antes de ser conectado ao paciente.

A maior vantagem de usar uma bomba APC para o controle da dor é a manutenção consistente do nível de analgésicos no corpo do paciente. Manter um nível adequado de medicação para a dor no corpo pode ajudar o paciente a evitar erupções dolorosas quando a medicação para a dor desaparece.

Ela também ajuda o paciente a ficar mais relaxado, afinal ele poderá medicar-se para a dor em vez de esperar por uma enfermeira para administrar o medicamento. Usar um dispositivo de analgesia controlado pelo paciente pode ajudar a maioria dos pacientes a se recuperar mais rapidamente.

Bomba de Insulina

Uma bomba de insulina é um dispositivo do tamanho de um smartphone, que pode ser convenientemente transportado em um bolso, em um clipe de cinto, ou em outro lugar discreto no corpo. Uma linha transporta a insulina da bomba de insulina para o corpo da pessoa, onde a ponta da linha, chamada cânula , é inserida logo abaixo da pele.

bomba de infusão insulina

Usando a bomba de insulina

Este pequeno cateter deve ser trocado a cada dois-três dias e pode ser alterado pelo diabético; A maioria dos diabéticos relata que a inserção da cânula é relativamente indolor, preferindo o uso da bomba ao invés  da injeção de insulina.
O diabetes tipo 1 torna o pâncreas incapaz de produzir insulina suficiente para satisfazer as necessidades do diabético, tornando-os dependentes da insulina injetada. Para muitos diabéticos, isso significa receber várias injeções, todos os dias.

O surgimento das insulinas de liberação rápida e de ação rápida (as conhecidas canetas de insulina) melhorou o controle que os diabéticos têm sobre seus açúcares no sangue, mas também promoveu o aumento no número de injeções necessárias em um dia.

A bomba de insulina proporciona maior controle sobre o diabetes do que as injeções tradicionais. A bomba usa insulina de ação rápida, que flui lenta mas firmemente no sistema do diabético de uma maneira que imita a função do pâncreas. Este fluxo é chamado de taxa basal e contabiliza os açúcares liberados regularmente na corrente sanguínea.

Para conhecer melhor a rotina de quem usa a bomba de insulina, assista ao vídeo abaixo, onde se explica o funcionamento e algumas características do equipamento.

Além da taxa basal, é necessária uma taxa adicional de insulina sempre que o diabético ingere qualquer coisa com carboidratos. O diabético programa a bomba de insulina para liberar a quantidade adequada de insulina, além da taxa basal.

como funciona bomba de insulina

Assim, a programação da bomba de insulina proporciona aos diabéticos uma maior flexibilidade no auto-tratamento do que nunca tiveram no passado. Cada avanço nas tecnologias usadas para tratar o diabetes se aproxima mais de imitar a função do pâncreas.

A bomba de insulina chegou ainda mais perto de imitar as ações do pâncreas, uma vez que os diabéticos que usam a bomba só precisam programar o dispositivo com suas necessidades e a bomba fará o resto do trabalho. Fabricantes como a Accu chek  disponibilizam treinamento especializado aos clientes que adquirem a bomba de insulina.

A única função pancreática que uma bomba de insulina ainda não consegue controlar é a monitorização dos níveis de glicose no organismo; Diabéticos ainda têm de fazê-lo manualmente. Tão rápido tem sido o avanço da tecnologia na área médica que já é possível aos diabéticos viver normalmente e de forma saudável.

 Bomba de infusão de seringa

Uma bomba de seringa é um dispositivo médico que regula a taxa de administração de fármaco através de uma seringa. Assemelhando-se a uma bomba de insulina, uma bomba de seringa é muito mais precisa, uma vez que fornece medicação lentamente durante um longo período de tempo. Médicos e pacientes podem programar uma bomba através de uma pequena tela no próprio equipamento.

Bomba de seringa para recém nascidos

bomba de infusão seringa

A bomba tem uma variedade de usos e cuidados paliativos, para salvar as vidas de recém-nascidos, por exemplo. Já os laboratórios de pesquisa em todo o mundo usam bombas de seringa (maiores e mais complexas) para determinar as quantidades mais eficazes de medicação intravenosa.

Uma bomba de seringa é uma combinação de componentes mecânicos e eletrônicos que manipulam uma seringa padrão. Projetada para acomodar o comprimento da seringa, as bombas menores são do tamanho de um controle remoto de televisão. Um pequeno computador controla um motor em funcionamento contínuo, o qual aplica uma força contínua sobre a extremidade do êmbolo da seringa; o motor imita a pressão realizada pela mão humana que aplica uma injeção.

Esta administração contínua de um fármaco diferencia a bomba de seringa de dispositivos semelhantes. Depois de fluir através de um  curto tubo de plástico, o fármaco entra no corpo por via intravenosa.

Uma bomba de seringa tem uma série de vantagens sobre outras formas de administração intravenosa de fármaco. Os bebês, especialmente os nascidos prematuros, podem precisar de uma variedade de medicamentos para sobreviver.

No entanto, seu tamanho pequeno requer quantidades menores de medicação. Uma bomba de seringa devidamente programada pode administrar com precisão a medicação, diminuindo as chances de uma sobredosagem acidental.

bomba de infusão laboratorio

Bombas de seringa também são um equipamento estratégico durante uma investigação médica. Ao contrário das bombas portáteis usadas por médicos e pacientes, uma bomba usada para pesquisa é maior (para acomodar peças eletrônicas e mecânicas mais complexas).

Embora esses recursos tenham um custo significativamente maior, eles permitem que os investigadores  administrem medicamentos muito mais precisamente do que as bombas normais.

Maior precisão leva a melhores dados de pesquisa, beneficiando futuros pacientes.

Bomba de Infusão Elastomérica

A bomba de Infusão Elastomérica – também conhecida como bomba de balão – é geralmente utilizada no campo médico para administrar medicamentos líquidos, tais como anestésicos locais, analgésicos, citostáticos ou antibióticos (dependendo da terapia).

bomba de infusão elastomerica

Como funciona a bomba elastomérica

A pressão necessária para administrar o fármaco provém da camada elastomérica que é moldada dentro da bomba. Quando a bomba está cheia, a camada é esticada. A constrição elástica conduz o líquido através da tubagem e eventualmente através de um limitador de fluxo para fora, onde ela está conectada ao doente.

A pressão é consistente até perto da extremidade da infusão, quando haverá geralmente um pico de pressão resultando numa taxa de fluxo mais elevada. A precisão da taxa de fluxo é controlada por um limitador de caudal (vidro capilar ou cânula de aço) que é moldada para a tubagem do sistema ou colocado dentro do reservatório elastomérico. As bombas elastoméricas não necessitam de eletricidade e não são movidas por gravidade.

Quando colocado acima ou abaixo do paciente, o caudal é ligeiramente aumentado ou diminuído (efeito altura da cabeça). O enchimento da bomba é feito manualmente através de uma válvula unidirecional usando uma seringa ou bomba repetidora peristáltica.

bomba de infusão elastomerica indolor

As bombas elastoméricas são conhecidas por sua confiabilidade e taxa de fluxo precisa. As bombas elastoméricas são livres de manutenção e funcionam de forma independente, sem qualquer componente eletrônico e geralmente são descartadas após o uso (uso único).

Dependendo do tamanho das bombas, a medicação pode ser aplicada ao longo de um intervalo de tempo, variando entre trinta minutos a sete dias.

Este tipo de bomba é ideal para pacientes ambulatoriais ou pacientes que requerem um alto nível de mobilidade.

  Bomba Peristáltica

Uma bomba peristáltica funciona por pressão e deslocamento. É usada principalmente para bombear líquidos através de um tubo, que é diferente da maioria das outras bombas, em que as partes da bomba entram em contato direto com o líquido. É um dos tipos mais comuns de ferramentas usadas para bombear líquidos, especialmente em ambientes médicos.

bomba de infusão peristaltica samtronic

Bomba peristáltica e sua principal vantagem

Em razão do funcionamento mecânico da bomba nunca entrar em contato direto com o fluido, ela possui uma série de utilizações, especialmente em situações onde fluidos estéreis são necessários.

Uma bomba peristáltica trabalha com os fluidos dentro de uma mangueira. O fluido então passa para dentro da carcaça da bomba e, uma vez lá, uma peça comprime o tubo forçando o líquido através da bomba e direcionando-o para seu destino final.

Esta técnica é conhecida como peristaltismo. Assim, a ferramenta é chamada bomba peristáltica.

Muitas vezes, quando se utiliza uma bomba peristáltica, os fluidos devem ser mantidos em um ambiente puro. Portanto, as mangueiras devem sempre conter o mesmo fluido.

No entanto, isto não limita necessariamente o funcionamento da bomba, porque as mangueiras podem ser desligadas. Isto é feito frequentemente, por exemplo, nos casos em que há um fluido intravenoso (IV) a ser bombeado.

A bomba oferece outras vantagens também. Por exemplo, como o interior da bomba está seco, há menos necessidade de se preocupar em proteger a bomba da umidade, que fica alojada dentro do tubo.

Sendo assim, uma vez que o equipamento não precisa de impermeabilização, a bomba peristáltica geralmente é mais barata de fabricar quando comparada com uma bomba de líquido.

Para quem deseja se aprofundar sobre esse modelo de Bomba de infusão, recomendo que assista ao vídeo do treinamento de uso do equipamento Samtronic.

A tubulação também deve ser capaz de atender a vários requisitos diferentes. Primeiro, o tipo de líquido não deve ser tão corrosivo para o material da tubulação.

Isto é muito importante para evitar danos ao interior da carcaça da bomba. A segunda consideração é que a tubulação deve ser flexível ou durável o suficiente para lidar com a constante repetição de ser comprimido, inúmeras vezes por hora.

Devido à questão da esterilidade, a bomba peristáltica encontra-se mais útil no ambiente médico. Pode ser usado em máquinas de diálise, bombas de coração e máquinas IV.

Além disso, também podem ser usadas para líquidos destinados ao consumo. O custo de uma bomba pode variar amplamente dependendo da aplicação e da fonte de energia envolvida.

Bomba de Infusão multi canais

bomba de infusão multicanais

As bombas de Infusão multicanais resolvem uma série de problemas relacionados com a perfusão.  Geralmente as UTI’s dos Hospitais são os locais onde mais se utilizam as bombas multicanais, em razão do equipamento ocupar  espaço limitado e facilitar a mobilidade dos doentes.

Quantidade de canais na bomba de infusão

Alguns fabricantes apresentam modelos com canal duplo, que facilitam a realização de muitas infusões através de uma única bomba de infusão.

Também é possível empilhar bombas volumétricas e seringas em uma única estação de MultiDock que utiliza uma única fonte de energia e organiza a unidade de trauma.

Com uma bomba de infusão multi canais, é possível infundir simultaneamente a partir de cada um dos seus canais com um potencial infusão rápida (cerca de 4,8 litros por hora).

Outro benefício efetivo de uma bomba multi terapia é a simplificação da carga de trabalho clínico, mesmo nos ambientes mais difíceis.

A equipe médica passará a monitorar as infusões realizadas pelo equipamento, ao invés de realizar o procedimento. Assim, é possível dar mais liberdade para os profissionais se dedicarem a outras atividades críticas mas que não podem ser realizadas automaticamente.

A implementação do uso de bombas multi canais pode simplificar o gerenciamento de múltiplas terapias de infusão, pois se utiliza de único dispositivo, o qual é projetado para economizar espaço, auxiliar a organização do ambiente de acordo com a necessidade do paciente, mas sem  perder de vista a segurança. 

Bomba de infusão inteligente

bomba de infusão inteligente

Bombas de infusão inteligentes são assim chamados pela possibilidade do equipamento coletar dados e, em seguida, agregá-los em um banco de dados no servidor central.

Isso inclui registros dos avisos e alertas de administração que dispararam, gerando dados e informações para os médicos que administram esses alertas.

Bombas inteligentes conectadas

Em razão do desenvolvimento tecnológico, as bombas inteligentes tornaram-se dispositivos de rede, conectadas a redes sem fio em hospitais e clínicas, o que não fez delas, porém, equipamentos inseguros.

As características de segurança contemplam muitos recursos, variando de acordo com o fabricante do equipamento. Vale destacar que a característica principal e mais popular das bombas inteligentes é a biblioteca de drogas.

Se trata de uma base de dados que contém as informações de dosagem de fármaco, incluindo limites de dosagem, parâmetros de infusão e avisos específicos de fármaco.

bomba de infusão inteligente avanço

Os limites de dosagem podem ser descritos por limites superiores ou inferiores, bem como por suspensão total ou suave do fornecimento. Os limites de dosagem superior é a dose mais elevada, dentro da margem de segurança do paciente; Já os limites inferiores, são as doses mais baixas que são aceitáveis.

Exceder os limites superiores pode causar uma dose excessiva. A administração de uma dose menor ao limite inferior pode provocar um tratamento ineficaz.

Os limites rígidos de dosagem superiores ou inferiores que são definidos na base de dados de fármacos, não podem ser substituídos. Se a programação clínica da bomba entrar em uma dose acima desse limite rígido, a bomba não permitirá que a infusão continue.

Os limites suaves podem ser aplicados em dosagem superiores ou inferiores e fornecem um aviso antes de atingi-lo, para que possam ser substituídos e a infusão possa continuar.

Por medida de segurança, alguns dispositivos de infusão solicitam que o operador apresente uma justificativa para a substituição do limite suave, de modo que as trocas de limites podem ser monitoradas e avaliadas pela equipe médica.

bomba de infusão inteligente

Existem dispositivos de infusão com software que utiliza características do paciente, como o peso, para calcular as doses de fármaco e compará-los com os limites superior e inferior estabelecidos na biblioteca de fármacos. Esta característica é mais importante em ambientes pediátricos, onde a maioria das doses são baseadas no peso.

O software do dispositivo de infusão também pode usar bibliotecas diferentes para vários tipos de pacientes ou tamanhos (isto é, pediátricos versus adultos) e comparar as doses de fármaco para a biblioteca escolhida, de acordo com o peso do paciente (isto é, menos de 15kg, 15-20kg, 21-30kg, etc.).

Isso requer que o programador de bomba escolha a biblioteca correta no estágio original de configuração para se certificar de que os intervalos de dose apropriados são usados.

Os limites da taxa de infusão podem ser definidos na programação da biblioteca de fármacos, para combinar um fármaco com o tempo de infusão apropriado. Assim como os limites de dose de fármaco, as taxas de infusão podem ser ajustadas com limites superiores e inferiores ou para um único período de tempo específico (isto é, 30 min).

Qualquer desvio da taxa de infusão programada fornecerá um aviso ao usuário e interromperá a infusão. Os alertas de infusão adicionais incluem oclusões de linha e avisos de bolhas de ar.

Bem como nas bombas tradicionais, as bombas de infusão inteligentes fornecem as mesmas notificações de problemas de infusão. Outras medidas de segurança incluem o uso de letras Tallman e o uso dos nomes de marca e genéricos de drogas.

No youtube, é possível encontrar diversas apresentações de bombas inteligentes. O video abaixo (está em inglês) mostra uma bomba inteligente do modelo seringa.

Muitas bombas inteligentes de infusão são capazes de integrar os registros de saúde eletrônicos do hospital. Isto inclui o uso de administração de medicação de código de barras (BCMA) e programas computorizados de entrada de pedidos de provedor (CPOE).

A segurança aumenta quando os medicamentos podem ser combinados com o perfil de medicação do paciente por códigos de barras.

As bombas de infusão podem fornecer uma camada adicional de segurança quando eles podem ler um código de barras de medicação e fornecer ao médico a verificação de que a dose de droga corresponde ao medicamento na lista de medicação ativa do paciente.

Os dados de infusão de fármacos também podem ser alimentados a partir da bomba de infusão, retornando para o prontuário médico online do doente. Dados como taxas de infusão e doses de fármacos tituláveis ​​podem ser imediatamente atualizados no registro para mostrar aumentos de dose ou diminuição, registrando exatamente quando eles aconteceram.

Caso contrário, o sistema dependerá do enfermeiro ou do operador, para inserir as alterações de dose e taxa no perfil do paciente manualmente.

Uma vantagem fascinante da tecnologia de bomba de infusão inteligente é a capacidade de capturar as informações do processo de programação da bomba para revisão e análise posterior. Tipicamente, as bombas de infusão inteligentes incluem bibliotecas de fármacos ou bases de dados de informação específica de fármaco.

 Desvantagens da bomba de infusão

Como as bombas de infusão são freqüentemente usadas para administrar fluidos críticos, incluindo medicamentos de alto risco, as falhas de bomba podem ter implicações significativas para a segurança do paciente.

Muitas bombas de infusão estão equipadas com dispositivos de segurança, tais como alarmes ou outros alertas do operador que se destinam a ativar em caso de problema. Por exemplo, algumas bombas são projetadas para alertar os usuários quando o ar ou outro bloqueio é detectado na tubulação que fornece fluido para o paciente.

bomba de infusão desvantagens

Ao longo dos últimos anos, questões de segurança significativas relacionadas com as bombas de infusão vieram a atenção do órgão de fiscalização nos Estados Unidos. Estas questões podem comprometer o uso seguro de bombas de infusão externas e levar a sobre ou sub-infusão, tratamentos perdidos, terapia atrasada, etc.

De 2005 a 2009, FDA recebeu aproximadamente 56.000 relatórios de eventos adversos associados com o uso de bombas de infusão. Durante esse período, os fabricantes realizaram 87 retiradas de bombas de infusão para tratar de questões de segurança identificadas.

Embora alguns eventos adversos possam ser o resultado do erro do usuário, muitos dos eventos relatados estão relacionados a deficiências no design e na engenharia do dispositivo, que podem criar problemas ou contribuir para o erro do usuário.

bomba de infusão software

Os tipos mais comuns de problemas relatados foram associados a defeitos de software, problemas de interface com o usuário e falhas mecânicas ou elétricas.

Em 2010, a FDA anunciou três etapas para melhorar a segurança das bombas de infusão:

(1) aumentar a conscientização do usuário;

(2) facilitar proativamente as melhorias do dispositivo;

(3) publicar novas orientações para a indústria.

CONCLUSÃO

Espero que este post tenha te auxiliado na busca de informações sobre bombas de infusão, quais são os tipos existentes e como funcionam.

Apesar dos avanços significativos com o uso das bombas de infusão, é necessário entender as demandas dos pacientes, do hospital, clínica e principalmente preparar os recursos humanos que irão operar o(s) equipamento(s).

Vale ressaltar que as bombas de infusão NUNCA serão o substituto do ser humano na realização das atividades de rotina médica. A humanização dos procedimentos de saúde devem se desenvolver no ritmo que surgem novas tecnologias (algumas podem ser confundidas como “automatização” dos procedimentos de saúde), mas o amparo aos pacientes deve ser a prioridade número UM na medicina.

E você, conhece uma bomba de infusão na prática? Manuseia esse equipamento no seu ambiente de trabalho? Deixe seu comentário aqui no blog. Será uma satisfação conversar com você.

 

Um abraço e até o próximo post!

×
×

Carrinho